BRIGADA DE TRÂNSITO

PAINEL DO USUÁRIO
Convidado
Mensagens: 0


Alterar
Ver
Tópicos e mensagens

TRÂNSITO
LINKS RÁPIDOS

 



 
     
-
 
Votação

LIMITE VELOCIDADE NA AUTO ESTRADA

48% 48% [ 172 ]
52% 52% [ 185 ]

Total dos votos : 357

Navegação
 Portal
 Índice
 Membros
 Perfil
 FAQ
 Buscar
Agosto 2017
SegTerQuaQuiSexSabDom
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031   

Calendário Calendário

POSTO VIRTUAL

 




Reclusos: pulseiras eletrónicas custam menos 33 euros por dia

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

29082011

Mensagem 

Reclusos: pulseiras eletrónicas custam menos 33 euros por dia




Cada um dos 582 arguidos com pulseira electrónica, instrumento que pode substituir as penas de prisão até dois anos ou a prisão preventiva, custa ao Estado menos 33 euros por dia do que um recluso numa cadeia, escreve a Lusa.

Actualmente estão activadas 582 pulseiras (Vigilância Electrónica) e o custo de cada uma é de 17,20 euros por dia, muito mais barato do que o custo médio diário de um recluso no sistema prisional, que ronda os 50 euros, segundo os dados fornecidos pelo Ministério da Justiça à Lusa.

Em termos globais, as 582 pessoas vigiadas através deste dispositivo custam ao Estado cerca de 10 mil euros por dia.

Em contrapartida, os 11.921 reclusos que ocupam as cadeias portuguesas representam um encargo diário de 596 mil euros.

Das 582 pessoas vigiadas através de pulseira, 173 estão na área do Porto, das quais 122 estão obrigadas a permanecer na habitação como medida de coacção, 37 foram condenadas a penas de prisão até dois anos e 14 cometeram o crime de violência doméstica.

Em Lisboa, este dispositivo electrónico está aplicado em 136 pessoas, na sua quase totalidade (119) como medida de coacção de obrigação de permanência na habitação por ordem do tribunal.

As restantes 17 foram condenadas a pena de prisão (seis), cinco como forma de adaptação à liberdade condicional e outras cinco por violência doméstica.

Nas restantes zonas do país, este dispositivo de controlo à distância também está a ser utilizado: em Coimbra estão 81 pessoas, Setúbal 53, Guarda 28, Ponta Delegada 24, Loulé 39 e Évora 18.

Os mesmos dados indicam que sete em cada cem pessoas sujeitas à pulseira electrónica, por decisão judicial, infringiram as regras, mas o número é bastante menor do que a média dos restantes países europeus, que se situa nos 12%.

Este sistema pode ser aplicado a arguidos como medida de coacção, a agressores que cometeram o crime de violência doméstica, a condenados a penas de prisão efectiva até dois anos, como forma de adaptação à liberdade condicional de reclusos ou uma alteração à execução da pena de prisão.

As pulseiras electrónicas foram colocadas, numa fase experimental, a arguidos da Grande Lisboa e depois do Grande Porto, passando a ter um âmbito nacional em Março de 2005.

Este instrumento pretende contribuir para a humanização do sistema penal e para uma poupança de alguns milhões de euros para os cofres do Estado.http://www.tvi24.iol.pt/sociedade/justica-prisao-reclusos-pulseiras-eletronicas-preventiva-tvi24/1276314-4071.html
avatar
solamente
ALFERES
 ALFERES

PAÍS :
IDADE : 52
MENSAGENS : 2082
LOCALIZAÇÃO : algarve
EMPREGO : domar feras
INSCRIÇÃO : 14/03/2009

Voltar ao Topo Ir em baixo

Compartilhar este artigo em: BookmarksDiggRedditDel.icio.usGoogleLiveSlashdotNetscapeTechnoratiStumbleUponNewsvineFurlYahoo!Smarking

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum