BRIGADA DE TRÂNSITO

PAINEL DO USUÁRIO
Convidado
Mensagens: 0


Alterar
Ver
Tópicos e mensagens

TRÂNSITO
LINKS RÁPIDOS

 



 
     
-
 
Votação

LIMITE VELOCIDADE NA AUTO ESTRADA

48% 48% [ 172 ]
52% 52% [ 185 ]

Total dos votos : 357

Navegação
 Portal
 Índice
 Membros
 Perfil
 FAQ
 Buscar
Abril 2018
SegTerQuaQuiSexSabDom
      1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30      

Calendário Calendário

POSTO VIRTUAL

 




Portas quer Negócios Estrangeiros, Administração Interna e uma pasta social

Ir em baixo

06062011

Mensagem 

Portas quer Negócios Estrangeiros, Administração Interna e uma pasta social




O dia seguinte. Três para ti e o resto para mim

Portas quer Negócios Estrangeiros, Administração Interna e uma pasta social


O resultado eleitoral ditou o peso de PSD e CDS-PP no próximo governo
de coligação. Com um executivo com menos ministros, o partido de Paulo
Portas dificilmente poderá ambicionar mais do que três ministérios. A
pasta dos Negócios Estrangeiros deverá ser cedida a Paulo Portas. O
deputado Nuno Magalhães terá lugar na Administração Interna, pelo menos
como secretário de Estado, e a Bagão Félix deverá estar reservada uma
pasta “social”, provavelmente a que une a Saúde à Segurança Social. Há
quem acarinhe no CDS-PP a ideia do regresso de Pires de Lima às lides
políticas. O nome é visto como o ideal para a Economia. Era, ainda
assim, necessário que o presidente da Unicer quisesse abandonar a vida
empresarial (o que é pouco certo) e que o PSD não impusesse o economista
Daniel Bessa para a pasta. Quanto à Agricultura, a pasta é muito
defendida pelo líder centrista, mas – na verdade – não há ninguém com
perfil pronunciado no CDS-PP para a assumir.

A solução governativa de Passos Coelho passa por dez ministros, o
CDS-PP aponta para doze. Apesar disto, o líder laranja já referiu que o
organigrama do governo também está dependente do partido com que terá
de negociar.

Há pelo menos dois pontos críticos num futuro entendimento. A
fusão da Justiça com a Administração Interna defendida pelo PSD não
agrada de todo a Paulo Portas. O líder do CDS-PP também prefere um
Ministério da Agricultura autónomo do Ambiente, apesar de – neste ponto –
ter abertura para ceder. A fusão da Saúde com a Segurança Social
anunciada por Passos Coelho chegou a ser estudada pelos centristas, que
consideram que este não era o timing ideal para a união de dois
super-ministérios.

O PSD marcou para hoje uma reunião da Comissão Política Nacional
(CPN), na qual Passos Coelho deverá pôr o partido nas mãos do
secretário-geral, Miguel Relvas. Já no CDS-PP, a nova figura do
presidente da comissão executiva passará a ser uma realidade com a ida
de Paulo Portas para o governo. Assunção Cristas é um dos nomes
apontados, caso a deputada do Orçamento não tenha lugar no futuro
executivo na área da economia. João Rebelo é igualmente visto para tomar
conta do partido na ausência de Portas.

As próximas duas semanas serão de negociação. Em 2005, Durão
Barroso demorou 19 dias a tomar posse à frente do governo de coligação
com o CDS-PP de Paulo Portas. Passos e Portas têm a pressão das metas do
memorando da troika e deverão encurtar os prazos.

CDS-PP

Paulo Portas
Já assumiu que a pasta que mais lhe
agrada é a dos Negócios Estrangeiros. Ainda assim Passos Coelho poderá
querer ter sob a sua tutela os assuntos comunitários, o que esvaziava um
pouco os poderes de Paulo Portas. A criação da figura de
vice-primeiro-ministro é falada entre os centristas, mas é uma
possibilidade muito remota.

Pires de Lima
Dentro do CDS-PP é acarinhado para
ministro da Economia, mas poucos acham que está disponível para
abandonar a direcção da Unicer. A critica que fez aos “barões” do PSD,
garantindo que não estariam disponíveis para aceitar um cargo no governo
de Passos Coelho, fez reacender algumas esperanças sobre a sua própria
disponibilidade. Era necessário, ainda assim, que o PSD aceitasse ceder
esta pasta ao CDS-PP. O que, provavelmente, não irá acontecer.

Nuno Magalhães
O líder centrista avisou o
deputado durante a campanha que terá de estar disponível para assumir
responsabilidades. É o nome forte do CDS-PP para a Administração
Interna. Este será um ponto de atrito entre o PSD e o CDS-PP, com os
sociais- democratas a quererem juntar Justiça e Administração Interna.

Bagão Félix
É visto, tanto pelo PSD como pelo
CDS-PP, como um bom nome para uma pasta social. Se o organograma
governativo de Passos Coelho se mantiver, Bagão poderá ter a seu cargo
tanto a Saúde como a Segurança Social. O CDS-PP acha arriscada esta
junção neste momento, apesar de a ter estudado.

Assunção Cristas
Central na discussão do Orçamento do Estado de 2011, é vista como uma
possibilidade para uma pasta económica, como por exemplo secretária de
Estado do Tesouro. Ainda assim, se não for para o governo, Assunção
Cristas poderá ter um papel mais importante no CDS-PP na ausência de
Paulo Portas.

PSD

Passos Coelho
Com um governo reduzido, Passos
Coelho deverá chamar à sua tutela diversas áreas. Para já está
confirmada a Cultura, mas também é provável que o primeiro-ministro
queira ter sob a sua alçada os assuntos comunitários (que podem sair da
pasta dos Negócios Estrangeiros). No PSD, fala-se ainda de uma
Secretaria de Estado das novas gerações, mais abrangente que a actual
Secretaria de Estado da Juventude e do Desporto.

Daniel Bessa
É o nome apontado pelo PSD para
ministro da Economia. Foi ministro da Economia, Indústria, Comércio e
Turismo do XIII governo constitucional, liderado por António Guterres,
durante menos de um ano. O economista tem tecido duras críticas ao
executivo de Sócrates e fez parte de alguns dos grupos de trabalho que
colaborarem com o líder do PSD.

Nuno Crato
É o primeiro nome de que se fala
para o ministério da Educação e do Ensino Superior (que ficarão juntos).
Ainda assim, não é certo que este catedrático queira abandonar o cargo
de presidente executivo do Taguspark e o PSD tem outros nomes na
algibeira.

Joaquim Azevedo
É também um nome possível para a
pasta da Educação e do Ensino Superior. O antigo secretário de Estado de
Cavaco Silva tem uma visão minimalista do Ministério da Educação, que
deve ser, na visão do especialista, uma agência de apoio às escolas e
uma agência de avaliação.

José Manuel Canavarro
O cabeça-de-lista do PSD por Coimbra deverá ter um papel importante
no próximo governo na área da educação. José Manuel Canavarro é
ex-secretário de Estado da Educação e foi o autor do programa do PSD
para a área da educação.

Miguel Macedo
O até agora líder da bancada parlamentar laranja jura a quem o quiser
ouvir que não está disponível para ir para o governo. Ainda assim, tem
sido muito pressionado pela cúpula do partido para aceitar a pasta dos
Assuntos Parlamentares que será fundida com a Presidência. Macedo não
deverá apenas levar a noiva ao altar, terá de ficar para o casamento e a
Defesa é ainda uma possibilidade.

Jorge Moreira da Silva
A amizade de Passos
Coelho por Jorge Moreira da Silva é sobejamente conhecida. Foi ao
vice-presidente do PSD que deixou a liderança da juventude laranja
quando saiu. Jorge Moreira da Silva é muito bem visto para uma pasta de
Ambiente e de Ordenamento do Território, que na orgânica do PSD terá
também a Agricultura. É preciso que Jorge Moreira da Silva queira
abandonar a ONU.

Euardo Catroga
Acompanhou as negociações com a
troika e é o nome mais bem posicionado para ministro das Finanças. Ainda
assim Passos Coelho já assumiu que irá criar um grupo de trabalho para
acompanhar a execução das medidas e que estará em contacto directo com o
primeiro-ministro.

Vítor Bento
O conselheiro de Estado de Cavaco
Silva é uma solução acarinhada para a pasta das Finanças, depois de
Eduardo Catroga ter feito declarações em público que constrangeram a
direcção laranja. Ainda assim é visto como uma possibilidade remota.

Fernando Negrão
Tem feito nos bastidores um
trabalho regular junto das polícias e é um nome acarinhado, por exemplo,
por Ângelo Correia para a pasta da Administração Interna. A
perseverança poderá ter sensibilizado Passos Coelho, estando Negrão bem
posicionado.

Aguiar-Branco
Em privado, tem garantido que não
aceita a pasta da Justiça, que no organograma do PSD é fundida com a
Administração Interna. No PSD, é quase garantido que Passos Coelho não
irá deixar de fora do governo o adversário das últimas directas. Se
recusar a justiça, a Defesa também poderá ser uma alternativa para
Aguiar- Branco, que está disponível para governar.

Paula Teixeira da Cruz
A vice-presidente do
PSD é um dos nomes apontados para a Justiça, mas a junção da pasta com a
Administração Interna pode inviabilizar esta solução. Do lado do
CDS-PP, o cabeça-de-_-lista por Santarém, Filipe Lobo d’Ávila, é um nome
forte na área da justiça.
Marques Mendes
A actual direcção
gostaria que o antigo presidente do partido voltasse ao executivo.
Mendes é visto como um bom nome para fazer a ponte com o CDS-PP no
governo e também é falado entre as hostes laranjas para a Defesa. É
preciso que ele também queira.

Carlos Moedas
Foi o braço direito de Eduardo
Catroga nas negociações com a troika. O cabeça de lista por Beja deverá
fazer parte do grupo de trabalho de execução do programa do troika que
Passos Coelho irá criar e é apontado para um secretaria de Estado na
órbita das Finanças.

Miguel Relvas
O secretário-geral do PSD não
quer ter pastas governativas e deverá ficar no partido e assumir o lugar
de deputado. Hoje, o PSD tem reunião da Comissão Política Nacional e
Passos Coelho deverá fazer a passagem do testemunho. No entanto, é de
relembrar que Relvas também não queria assumir o cargo de
secretário-geral do PSD depois das últimas directas.

Fernando Ruas
O presidente da Associação Nacional
de Municípios e autarca de Viseu há muito que ambiciona uma pasta
governativa que esteja ligada ao ordenamento de território. Uma espécie
de Ministério do Planeamento, que tenha em si a gestão dos fundos do
QREN (Quadro de Referência Estratégico Nacional). Porém, com a fusão de
ministérios preconizada por Passos Coelho dificilmente Ruas será
ministeriável.

Francisco José Viegas
O independente eleito
por Bragança é apontando para assumir a Secretaria de Estado da Cultura,
que ficará sob a tutela do primeiro-ministro. Neste ponto, PSD e CDS-PP
estão de acordo e a cultura descerá de divisão e deixará de ter
ministério.

http://www.ionline.pt/conteudo/128555-o-dia-seguinte-tres-ti-e-o-resto-mim


avatar
BTBRAVO
2º COMANDANTE
 2º COMANDANTE

PAÍS :
MENSAGENS : 6247
LOCALIZAÇÃO : Lisboa
EMPREGO : BRIGADA DE TRÂNSITO
INSCRIÇÃO : 05/02/2009

Voltar ao Topo Ir em baixo

Compartilhar este artigo em: diggdeliciousredditstumbleuponslashdotyahoogooglelive

Portas quer Negócios Estrangeiros, Administração Interna e uma pasta social :: Comentários

avatar

Mensagem em Ter 7 Jun 2011 - 9:23 por MEO

Pois, pois... agora que já têm tacho será que se lembram da nossa luta ?

Voltar ao Topo Ir em baixo

avatar

Mensagem em Ter 7 Jun 2011 - 15:59 por bota alta

Espero não ficar desiludido com o deputado Nuno magalhães, que tem defendido a nossa causa até agora. A ver vamos.

Voltar ao Topo Ir em baixo

avatar

Mensagem em Qua 8 Jun 2011 - 5:52 por solamente

vamos aguardar novidades nao vamos entrar ja por ai ....

Voltar ao Topo Ir em baixo

Mensagem  por Conteúdo patrocinado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum