BRIGADA DE TRÂNSITO

PAINEL DO USUÁRIO
Convidado
Mensagens: 0


Alterar
Ver
Tópicos e mensagens

TRÂNSITO
LINKS RÁPIDOS

 



 
     
-
 
Votação

LIMITE VELOCIDADE NA AUTO ESTRADA

48% 48% [ 172 ]
52% 52% [ 185 ]

Total dos votos : 357

Navegação
 Portal
 Índice
 Membros
 Perfil
 FAQ
 Buscar
Outubro 2017
SegTerQuaQuiSexSabDom
      1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031     

Calendário Calendário

POSTO VIRTUAL

 




GNR e PSP juntos no voo inaugural do aeroporto de Beja

Página 1 de 2 1, 2  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

03032011

Mensagem 

GNR e PSP juntos no voo inaugural do aeroporto de Beja




Aviação: GNR quer "tomar conta" do aeroporto de Beja, MAI remete decisão para mais tarde

A Associação Sócio-Profissional da Guarda (ASPIG) reivindicou hoje que a segurança do aeroporto de Beja seja entregue à GNR, não à PSP, mas o Ministério da Administração Interna (MAI) remeteu para mais tarde uma decisão.

"A solução que vier a ser encontrada será concertada nos termos do que está legislativamente previsto e em acordo entre o MAI e o Ministério das Obras Públicas", disse o secretário de Estado Adjunto e da Administração Interna, Conde Rodrigues.

O governante falava à Agência Lusa à margem de uma deslocação a Beja, onde visitou o Comando Distrital da PSP e o Comando Territorial da GNR, rumando de seguida para Mértola, onde presidiu à assinatura de dois protocolos relativos ao posto local da guarda.

Questionado sobre a dúvida que persiste sobre se será a PSP ou a GNR a garantir a segurança do novo aeroporto, localizado nos arredores de Beja, Conde Rodrigues frisou que essa questão vai apenas colocar-se "num momento posterior".

"Essa questão do aeroporto não foi objeto de nenhuma reunião de trabalho nesta visita", esclareceu, assegurando, contudo, que a solução que vier a ser encontrada passará sempre por um "consenso" entre o MAI e o Ministério das Obras Públicas.

Em comunicado, a ASPIG alertou hoje o Governo de que "terá de ser a GNR a força de segurança" com a "responsabilidade pela segurança do aeroporto", atendendo à localização da infraestrutura aeroportuária.

"O aeroporto dista cerca de 10 quilómetros da cidade de Beja", ou seja, encontra-se numa "zona rural, numa área atribuída à GNR e policiada por esta", realça o comunicado.

A GNR, lembra a ASPIG, é uma força de segurança com "características específicas para atuação fora dos grandes centros urbanos" e a sua nova lei orgânica "prevê dotar os comandos territoriais distritais com destacamentos aerotransportados".

Um conjunto de argumentos sobre os quais o secretário de Estado Conde Rodrigues se escusou a pronunciar - "não comento as opiniões da ASPIG", frisou - e, embora garantindo que o assunto está em aberto, lembrou a existência de uma "orientação nacional" para a presença da PSP nos aeroportos internacionais.

Isso é, precisamente, sublinhou, o que acontece nos aeroportos de Lisboa, Porto, Faro e nas regiões autónomas dos Açores e da Madeira.

"Este [Beja] é um novo aeroporto e, seguindo esse entendimento de que a especificidade e a especialização existe hoje na PSP, as coisas poderiam encaminhar-se nesse sentido, mas a seu tempo será anunciada a decisão final", limitou-se a acrescentar.

http://www.observatoriodoalgarve.com/cna/noticias_ver.asp?noticia=43205


avatar
BRIOSA BT
ADJUNTO DO COMANDANTE
 ADJUNTO DO COMANDANTE

PAÍS :
MENSAGENS : 1277
LOCALIZAÇÃO : Lisboa
INSCRIÇÃO : 04/01/2010

Voltar ao Topo Ir em baixo

Compartilhar este artigo em: BookmarksDiggRedditDel.icio.usGoogleLiveSlashdotNetscapeTechnoratiStumbleUponNewsvineFurlYahoo!Smarking

GNR e PSP juntos no voo inaugural do aeroporto de Beja :: Comentários

avatar

Mensagem em Sex 4 Mar 2011 - 12:49 por BRIOSA BT

Policiamento do Aeroporto de Beja envolto em polémica

A decisão ainda não está totalmente tomada, mas tudo indica que a segurança daquela infra-estrutura vai ser da responsabilidade da PSP. Associação da GNR protesta.
Está a cair mal na GNR a possibilidade de a segurança do novo Aeroporto Internacional de Beja, com inauguração marcada para Maio, ser entregue à PSP.

A decisão ainda não está totalmente tomada pelos Ministérios da Administração Interna e dos Transportes, mas tudo indica que a segurança daquela infra-estrutura vai ser da responsabilidade da PSP.

Porque o Aeroporto está na sua área de jurisdição, a escolha caiu muito mal na GNR. Oficialmente, o Comando Geral não toma uma posição, mas a Associação Socioprofissional Independente dos Profissionais da Guarda (ASPIG) lança críticas a quem está a ignorar a legislação.

“Está previsto na Lei Orgânica da Guarda Nacional Republicana que todos os aeroportos que abram ao público em Portugal na área em que a GNR preste serviço será a GNR, como é lógico, a desempenhar este serviço”, explica José Alho.

O presidente da ASPIG sublinha que a questão do aeroporto de Beja “terá depois consequências” no futuro aeroporto de Alcochete, que está na área de jurisdição da GNR.

José Alho não acredita que o Governo ignore a Lei, até porque isso seria um atestado de incompetência para a GNR.

http://www.rr.pt/informacao_detalhe.aspx?fid=93&did=145086

Voltar ao Topo Ir em baixo

avatar

Mensagem em Sex 4 Mar 2011 - 16:50 por BTBRAVO

ASPIG quer GNR no Aeroporto de Beja

A Associação Sócio-Profissional Independente da Guarda Nacional Republicana (ASPIG), “alerta o Governo que relativamente ao aeroporto internacional de Beja, terá de ser a Guarda Nacional Republicana (GNR) a força de segurança que vai ficar com a responsabilidade pela segurança do aeroporto”.
Em comunicado enviado à Rádio Pax a ASPIG refere que esta pretensão prende-se como o facto da GNR ser “uma força com características especificas para actuação fora dos grandes centros urbanos” e o futuro aeroporto distar “cerca de dez quilómetros da cidade de Beja – zona rural e área atribuída à GNR e policiada por esta”. Na sua deslocação, ontem, a Beja, o Secretário de Estado Adjunto e da Administração Interna afirmou que “fará mais sentido que seja a PSP” à semelhança do que se passa nos aeroportos de Faro, Lisboa e Pedras Rubras. José Alho, presidente da ASPIG, afirma que, no quadro da nova Lei Orgânica, cabe à GNR fazer a segurança nos novos aeroportos a abrir no país. O Secretário de Estado desconhece, em sua opinião, a Lei Orgânica da GNR.

http://www.radiopax.com/noticias.php?d=noticias&id=11545&c=1

Voltar ao Topo Ir em baixo

avatar

Mensagem em Sex 4 Mar 2011 - 17:22 por Sagitário para sempre

PSP "ganha" segurança do aeroporto de Beja

A segurança do novo Aeroporto de Beja deverá ser garantida pela PSP, apesar da infra-estrutura estar situada numa freguesia rural, São Brissos, em área territorial da responsabilidade da GNR. As associações da Guarda já se mostraram contra esta possível decisão que deverá ser tomada em breve pelos ministérios da Administração Interna e das Obras Públicas.
Tal como o CM noticiou na quinta-feira, tudo aponta para que seja a Polícia a ganhar a "corrida" disputada pelas duas forças. Nesse mesmo dia, durante a visita que realizou aos comandos distritais de Beja da PSP e da GNR, o secretário de Estado Adjunto da Administração Interna deixou claro ser essa a possibilidade mais provável. "É no organigrama da PSP de Beja que está a esquadra de segurança aeroportuária", disse José Conde Rodrigues, sublinhando que tendo o futuro aeroporto de Beja "características semelhantes aos aeroportos de Faro, Pedras Rubras ou Lisboa, fará mais sentido que seja a PSP" a assegurar essas funções e a sua segurança.
Em comunicado, a Associação Sócio-Profissional Independente da Guarda Nacional Republicana (ASPIG) exige a presneça da GNR no aeroporto de Beja e lembra que a nova lei orgânica da força prevê dotar os Comandos Territoriais Distritais de destacamentos aerotransportados.
A Associação dos Profissionais da Guarda – APG/GNR refere que esta a decisão do Governo será interpretada como uma "falta de confiança no profissionalismo dos elementos que servem a Guarda" e que poderá abrir portas para outras situações similares, como por exemplo no caso do futuro aeroporto de Alcochete. A associação já soliticou uma audiência ao Ministro da Administração Interna para que sejam prestados esclarecimentos sobre este assunto.

Voltar ao Topo Ir em baixo

avatar

Mensagem em Sab 5 Mar 2011 - 4:33 por RICKY4969

e admiram-se???? a gnr neste momento só sabe fazer operações Stop..... e mal.....

Voltar ao Topo Ir em baixo

avatar

Mensagem em Sab 5 Mar 2011 - 4:42 por BrigadeiroSempre

Pobre GNR ao que chegou, ou melhor como a puseram com esta reforma os oficiais superiores da GNR coniventes como o poder politico extinguiram o que de melhor tinha esta instituição, para não falar na àrea de jurisdisção perdida para a PSP.
Não demora a GNR ficar confinada aos montes, guardas de honra, Timor e agora ganharam uma nova àrea de jurisdisção o Afeganistão.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Mensagem em Sab 5 Mar 2011 - 5:40 por aze

Era nesta situação que os tantos oficiais recentemente promovidos deveriam colocar as suas capacidades de liderança e negociação, fazer ver aos governantes que ou se cumpre a Lei orgânica da GNR (j) n.º 1 Art.º 3 da lei 63/07) ou então que se acabe com ela pois eu prefiro ver a GNR morta do que aquilo que lhe vem acontecendo desde a entrada em vigor da nova lei orgânica.
A PSP sempre a ganhar terreno (não tenho nada contra os colegas da PSP), não deixam entrar a custo algum a GNR nas suas áreas de intervenção mas querem sempre as da GNR. Os nossos oficiais como sempre e a exemplo daquilo que vem acontecendo ultimamente na AE A1 junto aos nós de Alverca a sul e da Feiteira (Carvalhos)a Norte, cada vez que se defrontam clubes das cidades de Lisboa com o da do Porto é ver na área em que a GNR é responsável pela segurança/circulação rodoviária, viaturas quer da Divisão de Transito da PSP quer da UEP PSP aguardar que as equipas cheguem aqueles pontos com as viaturas paradas na berma da AE, para depois lhes fazerem a segurança/desembaraçamento de transito em plena AE A1, os oficiais da Guarda assistem a toda esta situação sem tomar qualquer medida. Outro exemplo é aquele que se passou aquando da abertura da AE A16, a Guarda no inicio tomou conta da totalidade da referida via, mas pouco tempo depois os oficiais da PSP mexeram-se e parte da AE passou de imediato para a PSP.
Continuem assim senhores Oficiais da GNR, se neste momento já não existem vagas para as funções de Tenente-Coronel no dispositivo da Guarda, a continuarem com esta postura, qualquer dia vamos todos ser integrados numa Policia Nacional e ai os senhores oficiais da GNR vão ser comandados pelos oficiais da PSP que será quem irá ocupar os cargos de chefia na Policia Nacional.
Valha-nos Nossa Senhora do Carmo e São Cristóvão.
Pela Lei Pela Grei.
Isenção Firmesa e Cortesia.

Voltar ao Topo Ir em baixo

avatar

Mensagem em Sab 5 Mar 2011 - 7:36 por Sagitário para sempre

aze escreveu:Era nesta situação que os tantos oficiais recentemente promovidos deveriam colocar as suas capacidades de liderança e negociação, fazer ver aos governantes que ou se cumpre a Lei orgânica da GNR (j) n.º 1 Art.º 3 da lei 63/07) ou então que se acabe com ela pois eu prefiro ver a GNR morta do que aquilo que lhe vem acontecendo desde a entrada em vigor da nova lei orgânica.
A PSP sempre a ganhar terreno (não tenho nada contra os colegas da PSP), não deixam entrar a custo algum a GNR nas suas áreas de intervenção mas querem sempre as da GNR. .
É mais pura realidade, como existem áreas de intervenção que a PSP já devia ter entregue à nova unidade da GNR criada para esse efeito a USHE e por lá continuam, como é o caso do Palácio de S. Bento e da Assembleia da República incluíndo a segurança no seu interior.

Só que a diferença é que na GNR fica tudo no papel.

Voltar ao Topo Ir em baixo

avatar

Mensagem em Sab 5 Mar 2011 - 7:38 por recruta /zero

acabar com a brigada transito foi um marco histórico para esses pseudo lideres , agora defender um direito constitucional......ISSO NAO, PODERIA ACABAR A GAMELA,.............viva a democracia romana......
ENFIM..... coisas de gente pequena que os grandes homens já estão habituados.....
pobres e brutos

Voltar ao Topo Ir em baixo

avatar

Mensagem em Sab 5 Mar 2011 - 15:50 por Whiterabit

A GNR não sabe governar as "quintas" que tem ao seu dispor e ainda quer mais...??? Parabens PSP.

Voltar ao Topo Ir em baixo

avatar

Mensagem em Sab 5 Mar 2011 - 16:42 por grepolis

Os senhores ainda pensam que quem vós comanda está preocupado com a Instituição GNR, está é preocupado é com as mordomias a que têm direito e aos salários chorudos que auferem, por aquilo que se vai lendo e se vai tendo conhecimento por vós agora o resto é paisagem meus amigos.
Não se esqueçam que o vosso anterior comandante da GNR até se aumentou a ele próprio antes de abandonar a GNR em cerca de 1000 euros de aumento salarial por aquilo que vinha escrito na comunicação social e de certeza que os muitos e muitos guardas nem isso recebem de ordenado mensal e continuam a ganhar um ordenado de miséria , mas isso a culpa é toda vossa meus senhores e de mais ninguém e não basta virem para a praça pública ou para comunicação social se queixarem que estão mal.
Façam com esses senhores e deixem andar o barco rolar como se diz na gíria popular se quem deveria de se preocupar com essas situações e com o GNR conforme aqui são relatadas não se preocupa vão os senhores se preocuparem, a muito que devia de haver uma unica policia e assim acabava-se com muitas coisas e com muitos generais e mais generais por aí espalhados e com muitos cargos de chefia na PSP, porque o que o povo precisa não são de generais nem coronéis ou tenentes coronéis nas forças policiais, precisa sim é de policias para andarem nas ruas das cidades e das vilas e das aldeias de dia e de noite que cada vez mais então a noite é coisa rara ver-se só mesmo em operações STOP porque o resto é um achado a prestar a segurança no dia dia do cidadão esses sim é que são precisos para garantir a segurança o Povo para se sentirem mais seguros.

Voltar ao Topo Ir em baixo

avatar

Mensagem em Seg 7 Mar 2011 - 17:07 por BRIOSA BT

Comandante diz que Lei coloca GNR no aeroporto

O comandante da GNR de Beja, coronel Garrido Gomes, quer que o Ministério da Administração Interna faça cumprir a nova Lei Orgânica da Guarda na atribuição do policiamento ao aeroporto da cidade.

"A Lei, aprovada em 2007 na Assembleia da República, tem de ser cumprida. Foram atribuídas competências à GNR, incluído a segurança e protecção a infra-estruturas aeroportuárias", diz o coronel.

O MAI já deixou transparecer a vontade de entregar o policiamento à PSP, apesar de ser uma área patrulhada pela GNR. Esta diz que tem a Lei do seu lado e está pronta a assumir funções. "Começou a preparar-se em Novembro de 2007", frisa Garrido Gomes, que já reuniu com o secretário de Estado do MAI, Conde Rodrigues, para discutir esta situação e o futuro das instalações em Mértola e Beja.

http://www.cmjornal.xl.pt/detalhe/noticias/nacional/portugal/comandante-diz-que-lei-coloca-gnr-no-aeroporto

Voltar ao Topo Ir em baixo

avatar

Mensagem em Ter 8 Mar 2011 - 7:29 por Calibre 48

A Lei aprovada em 2007 na Assembleia da República, tem de ser cumprida, diz o Coronel Garrido Gomes, Comandante da GNR de Beja. O que eu acho muito bem. E sobre o Decreto-Lei nº 298/2009, de 14OUT, o qual estabelece o novo regime remuneratório aplicável aos militares da Guarda, não diz nada?

Voltar ao Topo Ir em baixo

avatar

Mensagem em Ter 8 Mar 2011 - 13:48 por recruta /zero

é isso mesmo, cumprir a lei....
o ministro se deve favores a psp , pague , mas nao a custa da gnr
ruuaaaaaaaaaaaaa com esse sr ministro

Voltar ao Topo Ir em baixo

avatar

Mensagem em Ter 8 Mar 2011 - 15:09 por alho

Comunicado da ANOG sobre o Novo aeroporto de Beja



COMUNICADO DE IMPRENSA

Notícias vindas a público durante a semana passada espelham uma intenção por parte do Secretário de Estado Adjunto e da Administração Interna, Dr. José Conde Rodrigues, de atribuir a segurança do novo aeroporto de Beja à Polícia de Segurança
Pública, sendo esta decisão, aparentemente, motivada pelo facto de aquela Força de Segurança se encontrar actualmente a assegurar o policiamento dos restantes aeroportos.
A Associação Nacional de Oficiais da Guarda vem manifestar publicamente a sua discordância e desagrado com esta opção, baseando-se no seguinte:
1. A Lei Orgânica (LOGNR) da Guarda Nacional Republicana, aprovada pela Lei 67/2007, de 06 de Novembro, no art.º3.º n.º 1, al. j), confere à Guarda a atribuição de manter a vigilância e protecção de infra-estruturas aeroportuárias, entre outros pontos sensíveis e instalações críticas, sendo esta redacção igual à que consta na LO da PSP, aprovada pela Lei n.º 53/2007, de 31 de Agosto.
2. A mesma LOGNR, no seu Artigo 52.º estatui que as atribuições cometidas à Guarda por aquela lei em matéria de vigilância, protecção e segurança de infraestruturas aeroportuárias não prejudicam a competência atribuída à Polícia de Segurança Pública nos aeroportos internacionais actualmente existentes. Quis assim o legislador salvaguardar, apenas e só, as situações dos actuais aeroportos do Porto e de Faro, que actualmente se encontram implantados na área sob responsabilidade da GNR.
3. Contudo, quanto à segurança aeroportuária de outras instalações,
nomeadamente aquelas a implementar futuramente, como é o caso actual de Beja, a interpretação legal não poderia ser mais clara. Ambas as Forças têm atribuições similares nas respectivas áreas territoriais.
4. Ora, tendo em consideração as delimitações de âmbito territorial em vigor, a estrutura aeroportuária do Aeroporto de Beja encontra-se dentro dos limites cujo policiamento se encontra atribuído, pelo MAI, à Guarda Nacional Republicana, devendo assim as estruturas orgânicas das Forças de Segurança dar resposta ao cumprimento da Lei e não a critérios subjectivos sem qualquer fundamento ou expressão legal.
5. As notícias reflectem que o critério de decisão alegado pelo Sr. Secretário de Estado Adjunto e da Administração Interna se basearia no “costume”, referindo que se a PSP já policia os outros aeroportos deverá ser-lhe atribuído também este. Ora as atribuições das Forças de Segurança regem-se pela Lei, e não pelo “costume”.
6. Em relação a argumentos de experiência, refira-se que a GNR tem sido
responsável pela segurança do aeródromo de Bragança, de onde se fazem regularmente voos internacionais, bem como está presente em todos os aeroportos internacionais portugueses, com forças da Unidade de Acção Fiscal, e tem assento permanente na comissão do Sistema Nacional de Facilitação e Segurança da Aviação Civil – FALSEC.
7. Torna-se assim totalmente incompreensível que o MAI venha a decidir, sem que se vislumbre qualquer justificação para tal, a contrário daquilo que se encontra estabelecido na Lei aprovada pela Assembleia da Republica para regular o funcionamento das Forças e Serviços de Segurança.
Os Oficiais da Guarda estão, como sempre estiveram, prontos para assumir as suas responsabilidades, não compreendendo nem aceitando que a Tutela tome uma decisão de tal alcance, baseada em iniciativas sem previsão normativa.
A ANOG defende que o critério legal deverá ser escrupulosamente respeitado nas atribuições das Forças de Segurança, quer no âmbito da segurança aeroportuária, como é o caso em particular, bem como noutras atribuições cujo funcionamento ainda não foi regularizado após a última reestruturação, como seja a segurança de Órgãos de
Soberania, entre outros.
Consideramos que as contradições entre os diplomas legais, aprovados pela Assembleia da República, e as propaladas intenções decisórias a tomar pelos responsáveis da Tutela em nada beneficiam o salutar relacionamento que deve existir entre as Forças e Serviços de Segurança, pedra basilar no funcionamento do Sistema de Segurança Interna e na Segurança de Portugal e dos Portugueses.

Voltar ao Topo Ir em baixo

avatar

Mensagem em Ter 8 Mar 2011 - 15:15 por alho

Os tempos mudam....
Há 3 anos atrás estava nesta luta sózinho e os senhores cá do Burgo (ainda bem que já se reformaram), chamavam-me de louco!!!

Agora vejo que todas as Associações e Comando da GNR, estão do lado do Alentejano pouco culto e que não tem canudo....

Ainda bem , a verdade e os ideais é como o azeite...
Bem hajam e bem vindos!

Voltar ao Topo Ir em baixo

Mensagem em Ter 8 Mar 2011 - 15:24 por patrulheiro do asfalto

Esperemos que para a guarda, não reste apenas o policiamento a cavalo em redor do aeroporto, porque se assim for, acredito até, que aquando da realização de uma escolta de uma qualquer entidade do aeroporto para um qualquer lugar do Alentejo, venha a ser realizada pela PSP.

Voltar ao Topo Ir em baixo

avatar

Mensagem em Qua 9 Mar 2011 - 10:14 por BTBRAVO

Oficiais da Guarda querem GNR no Aeroporto de Beja

Na sua deslocação a Beja o Secretário de Estado Adjunto e da Administração Interna, José Conde Rodrigues, afirmou que “fará mais sentido que seja a PSP” a garantir a segurança do Aeroporto de Beja.
A Associação Nacional de Oficiais da Guarda (ANOG) manifesta, em Comunicado, o seu desagrado face a esta possibilidade e lembra que a Lei Orgânica da GNR “confere à Guarda a atribuição de manter a vigilância e protecção de infra-estruturas aeroportuárias”. A Associação entende que, no caso de Beja, apesar desta competência estar também atribuída à PSP, “tendo em consideração as delimitações de âmbito territorial em vigor, a estrutura aeroportuária do Aeroporto de Beja encontra-se dentro dos limites cujo policiamento se encontra atribuído, pelo MAI, à Guarda Nacional Republicana, devendo assim as estruturas orgânicas das Forças de Segurança dar resposta ao cumprimento da Lei e não a critérios subjectivos sem qualquer fundamento ou expressão legal”.
Segundo a Associação “as notícias reflectem que o critério de decisão alegado pelo Secretário de Estado Adjunto e da Administração Interna se basearia no «costume», referindo que se a PSP já policia os outros aeroportos deverá ser-lhe atribuído também este”, e conclui que “as atribuições das Forças de Segurança regem-se pela Lei, e não pelo «costume»”.
A ANOG considera “totalmente incompreensível que o MAI venha a decidir, sem que se vislumbre qualquer justificação para tal, a contrário daquilo que se encontra estabelecido na Lei aprovada pela Assembleia da Republica para regular o funcionamento das Forças e Serviços de Segurança”.

http://www.radiopax.com/noticias.php?d=noticias&id=11585&c=1

Voltar ao Topo Ir em baixo

avatar

Mensagem em Qua 9 Mar 2011 - 12:26 por BTBRAVO

GNR/ Beja: Comandante Territorial “reivindica” segurança do aeroporto

O coronel Garrido Gomes defende junto do Ministério da Administração Interna que a segurança do aeroporto (Terminal Civil) de Beja deve ser confiada à GNR. O Comandante Territorial de Beja diz que “deve ser cumprida” a Lei Orgânica. O oficial está a negociar com a Diocese de Beja a ocupação do todo o edifício onde a Guarda se encontra na cidade.

Para o Comandante Territorial de Beja da Guarda Nacional Republicana “não há qualquer polémica, basta cumprir a lei”, no diz respeito à atribuição da segurança do aeroporto (Terminal Civil) de Beja à força que comanda. O coronel Garrido Gomes (na foto fardando de azul e de bivaque) fez saber na passada semana a Conde Rodrigues, secretário de Estado Adjunto e da Administração Interna, que o MAI “deve cumprir e fazer cumprir” a Lei 63/ 2007, de 6 de Novembro, que aprovou a estrutura orgânica da Guarda, nomeadamente nos artigos 3º (atribuições) e 52º (disposições transitórias) sobre quem é a força de segurança que deve garantir o policiamento da infra-estrutura aeroportuária bejense.

“A lei aprovada na Assembleia da República é clara e só queremos que seja cumprida”, disse à Voz da Planície, o coronel Garrido Gomes, quando confrontado com as palavras do secretário de Estado, em Beja, que defendeu que “era à PSP” que competia garantir a segurança do aeroporto.

No que diz respeito às instalações da GNR em Beja, o oficial revelou que “decorrem negociações” com a Diocese de Beja, para que a GNR “ocupe o primeiro andar” do edifício onde está sedeada e que anteriormente foi ocupado pelo pólo da Universidade Moderna.

No que diz respeito a Mértola, a guarnição “vai fazer hoje a mudança” para as novas instalações no Tribunal da vila e para o espaço de pernoita no edifício dos bombeiros locais, enquanto “se aguarda a construção do novo quartel”, colocando fim a um longo processo da substituição do antigo posto à beira de ruir.

No que diz respeito à segurança do aeroporto (Terminal Civil) de Beja, o coronel Garrido Gomes, lembra que a Lei Orgânica da GNR, define na alínea j) do artigo 3º que, constituem atribuições da Guarda: “manter a vigilância e a protecção de pontos sensíveis, nomeadamente infra-estruturas aeroportuárias”, acrescentando que o artigo 52º, reforça essas atribuições “não prejudicam a competência atribuída à PSP nos aeroportos internacionais actualmente existentes”.

http://www.vozdaplanicie.pt/index.php?q=C/NEWSSHOW/42545

Voltar ao Topo Ir em baixo

avatar

Mensagem em Qua 9 Mar 2011 - 12:41 por recruta /zero

é isso mesmo, cumprir a lei e fazer cumprir a lei
nada de medo,
a verdade é para ser dita, bem haja sr comandante

Voltar ao Topo Ir em baixo

avatar

Mensagem em Qui 10 Mar 2011 - 12:33 por 1970

Reivindicar hoje que a segurança do aeroporto de Beja seja entregue à GNR e não à PSP não faz , na minha opinião, sentido algum, se for considerado o seguintes:
- A orgânica do Comando Territoria de Beja, para um policiamento eficiente, é de 1050 militares;
- Apesar da orgânica existente no "papel" , a verdade é que o efectivo presente não chega a 700 militares;
- Não se vislumbra, a curto prazo, o aumento do efectivo presente.
Nesta conformidade - considerando a importância da segurança das pessoas e bens numa zona em que a população´esta a envelhercer - a
reivindicação em causa, por parte da GNR, parece não fazer sentido numa visão realista das coisas.
As infra-estruturas aeroportuárias - dadas as circunstâncias actuais - não podem ter melhor "tratamento" do que a segurança das pessoas - muitas a viverem sozinhas no isolamento dos montes alentejanos .
A gestão de prioridades terá que marcar a agenda dos políticos bem como das chefias policiais.
Nota: O que escrevi é apenas uma opinião pessoal

Paulo

Voltar ao Topo Ir em baixo

avatar

Mensagem em Qui 10 Mar 2011 - 14:32 por RICKY4969

querem tudo e não fazem nada.....

Voltar ao Topo Ir em baixo

Mensagem em Qui 10 Mar 2011 - 17:57 por alfredo

cheira-me a mais umas chafaricas e mais uns impedimentos.

e a seguranças das vilas e aldeias que se lixe.

Voltar ao Topo Ir em baixo

avatar

Mensagem em Sab 12 Mar 2011 - 14:52 por bota alta

O "monstro" como dizia o senhor Silva, está a empaturrar-se com tantas especialidades. Querem tudo, mas não percebem de nada.

Voltar ao Topo Ir em baixo

avatar

Mensagem em Dom 20 Mar 2011 - 15:19 por BTBRAVO

Voltar ao Topo Ir em baixo

avatar

Mensagem em Dom 20 Mar 2011 - 16:02 por rock

Por este andar, o comando da gnr está a reinvindicar o lugar do 1.º ministro e respectivos mamões...
" Quem tudo quer, tudo perde."

Voltar ao Topo Ir em baixo

Mensagem em Dom 20 Mar 2011 - 16:22 por alfredo

mais um passo em frente na PSP

na GNR mais um sapo para engolir.

por este andar vamos engolir muitos sapos

Voltar ao Topo Ir em baixo

avatar

Mensagem em Seg 21 Mar 2011 - 10:18 por Sagitário para sempre

PSP assegura segurança do aeroporto de Beja

A segurança do aeroporto de Beja será garantida pela PSP, que está a trabalhar no processo há três anos, nomeadamente a elaborar o plano de segurança e a formar efetivos, afirmou esta segunda-feira, o comandante distrital da Polícia.

"Estamos convictos, desde sempre, que é a PSP" que será a responsável pela segurança do aeroporto de Beja, já que a segurança dos aeroportos internacionais é uma competência da Polícia, disse o comandante distrital de Beja da PSP, Viola da Silva. Segundo o intendente, o assunto da segurança do aeroporto de Beja "sempre foi tratado" com a PSP, que, através do comando distrital de Beja, está a trabalhar no processo "há cerca de três anos".
A PSP de Beja já participou em várias reuniões relacionadas com a segurança do aeroporto e com entidades ligadas à infraestrutura aeronáutica, como a ANA -- Aeroportos de Portugal, a Base Aérea n.º 11 de Beja e o Instituto Nacional de Aviação Civil (INAC).
De acordo com Viola da Silva, a PSP de Beja, juntamente com a ANA, está a elaborar o plano de segurança do aeroporto, que deverá ficar concluído "em breve". A PSP de Beja "vai adaptar o seu efectivo à necessidade" dos voos e das pessoas que passem pelo aeroporto de Beja e "assegurará todas as valências que forem necessárias e com o efectivo que for necessário", disse Viola da Silva.
Através de um primeiro curso certificado pelo INAC, 15 efetivos do comando de Beja da PSP já receberam formação em segurança de aviação civil e hoje começou um segundo curso para formar mais 15 efectivos, disse.
"Estamos a formar efectivos com competências acima do que é exigido", disse, frisando tratar-se de uma formação "exigente", sendo que a componente teórica é ministrada em Beja e a prática no aeroporto de Lisboa. A PSP já sabe onde será a esquadra da polícia no aeroporto e "já há um sítio para a equipa de desactivação de explosivos" da Unidade Especial de Polícia (UEP) e que há três meses foi colocada em Beja para actuar no aeroporto e ocorrer a situações de engenhos explosivos.
A equipa, que presta apoio e actua no distrito "quando houver uma situação de ameaça de bomba", "só veio" para Beja para a "missão específica" da PSP no aeroporto de Beja, frisou.

Voltar ao Topo Ir em baixo

avatar

Mensagem em Ter 22 Mar 2011 - 8:51 por Whiterabit

Parabens á PSP, a GNR já tem "Quintas" a mais e ainda por cima, mal geridas...

Voltar ao Topo Ir em baixo

avatar

Mensagem em Ter 22 Mar 2011 - 12:40 por alemão

Neste item,Zé Alho só te quero responder sobre o que aqui dizes acerca da tua luta, nem sequer deves, referir que és pouco culto, porque não és e não te inferiorizes por não ter canudo, porque há uns anos atrás quando fui para o destacamento 21(Lisboa), um alentejano de Monforte, que deves ter ouvido falar(Cabo Cabeçana), dizia muitas vezes que o canudo da vida não era para todos, só era para alguns, por atrás duma oliveira ou de um chaparo tambem se tiram canudos.

Voltar ao Topo Ir em baixo

avatar

Mensagem em Qua 23 Mar 2011 - 16:31 por MAKARIO

Muitos parabéns à PSP, grande força de Segurança

Voltar ao Topo Ir em baixo

avatar

Mensagem em Qua 23 Mar 2011 - 17:14 por Zé das Iscas

Com o estado em que a nossa guarda está neste momento havia de ser bonito. O efectivo da guarda no aeroporto seria: 5 Coroneis, 20 Tenentes-Coroneis, 30 ou 40 Majores, 3 ou 4 Capitães, Tenentes e Alferes, uns 5 sargentos e 2 praças ( um para tirar cafés e outro para servir os cafés aos oficiais!)

Voltar ao Topo Ir em baixo

avatar

Mensagem em Sex 25 Mar 2011 - 9:07 por BTBRAVO

GNR/ CTBeja: Comandante reforça cumprimento da lei sobre aeroporto

O coronel Garrido Gomes reafirma que a GNR entende e defende que “deve ser cumprida” a Lei Orgânica, no que diz respeito à segurança na infraestrutura aeroportuária do Terminal Civil de Beja. Sem comentar, é a resposta às recentes afirmações públicas do comandante do Comando de Polícia de Beja, Superintendente Viola da Silva.


As afirmações públicas do Superintendente Viola da Silva, comandante do Comando de Polícia de Beja, de que a segurança na infraestrutura aeroportuária de Beja “é uma decisão que está tomada”, para que seja a Polícia de Segurança Pública, a executar essa missão, não merece acolhimento do comandante do Comando Territorial de Beja da GNR, que sustenta que a única coisa que existe “é a lei e esta atribui à Guarda essa responsabilidade”.

O coronel Garrido Gomes, reforça que a sua convicção “é a de que a lei vai ser cumprida”, justificando que quando tal não acontece “há conflitos entre as pessoas e as instituições”.

O oficial lembra que a GNR “tem doas as valências” para efectuar a segurança , acrescentando que tem ainda mais duas vertentes necessárias à estrutura aeroportuária “a fiscal e de ambiente”, garantindo que logo que seja atribuída à GNR a missão, “o comando de Beja será reforçado no espaço de dias”.

No que diz respeito à segurança do aeroporto (Terminal Civil) de Beja, o comandante do Comando Territorial de Beja da GNR, voltou a lembra que a Lei Orgânica, define na alínea j) do artigo 3º que, constituem atribuições da Guarda: “manter a vigilância e a protecção de pontos sensíveis, nomeadamente infra-estruturas aeroportuárias”, acrescentando que o artigo 52º, reforça essas atribuições “não prejudicam a competência atribuída à PSP nos aeroportos internacionais actualmente existentes”.

Uma entrevista alargada com o coronel Garrido Gomes, pode ser ouvida na integra, após o jornal informativo das 12 horas.

http://www.vozdaplanicie.pt/index.php?q=C/NEWSSHOW/42804

Voltar ao Topo Ir em baixo

avatar

Mensagem em Qui 31 Mar 2011 - 2:37 por BTBRAVO

GNR ou PSP. Afinal, quem faz a segurança do aeroporto de Beja?

A duas semanas do primeiro voo internacional, o governo ainda não decidiu se a segurança ficará a cargo da GNR ou da PSP


O primeiro voo internacional a partir do novo aeroporto de Beja foi antecipado para 13 de Abril, mas o Ministério da Administração Interna (MAI) continua sem anunciar publicamente qual será a força de segurança a tomar conta da infra-estrutura - apesar de tanto a GNR como a PSP a reclamarem para si.

A GNR diz que o aeroporto - que está a 12 quilómetros de Beja - está na sua área territorial e garante que a última revisão da lei orgânica da Guarda, datada de 2007, determina que os aeroportos internacionais que entretanto viessem a ser construídos na sua jurisdição seriam seus. Mas a PSP defende que tem a segurança de todos os aeroportos internacionais do país e, como tal, o know- -how necessário, e garante que o aeroporto lhe foi atribuído em 2008, num encontro realizado no MAI e em que a GNR também estava presente.

A polémica estalou a 3 de Março, quando o secretário de Estado da Administração Interna esteve em Beja. Conde Rodrigues visitou as duas forças de segurança e, no final, disse aos jornalistas que ainda não havia uma decisão sobre a segurança do aeroporto. Mesmo assim, o governante recordou que existe uma "orientação nacional" para a presença da PSP nos aeroportos internacionais, exemplificando com os casos de Lisboa, Porto, Faro e regiões autónomas. "Este é um novo aeroporto e, seguindo esse entendimento, de que a especificidade e a especialização existem hoje na PSP, as coisas poderiam encaminhar-se nesse sentido", admitiu Conde Rodrigues.

Foi quanto bastou para irritar a GNR. Logo no dia seguinte, a Associação dos Profissionais da Guarda emitiu um comunicado a defender que o aeroporto está "localizado numa área cuja competência de policiamento é da GNR". Várias fontes da Guarda confirmam, aliás, que os comentários do secretário de Estado não caíram bem na GNR. "É passar, literalmente, um atestado de incompetência à Guarda", diz um oficial que prefere não ser identificado.

Leis sobrepõem-se Os desentendimentos começam logo nas leis orgânicas das duas forças de segurança. Tanto a da GNR como a da PSP dizem que é sua atribuição "manter a vigilância e a protecção de pontos sensíveis, nomeadamente infra-estruturas rodoviárias, ferroviárias, aeroportuárias e portuárias". Ou seja, quer a Guarda quer a Polícia de Segurança Pública estão vocacionadas para a segurança de aeroportos.

Contudo, a GNR defende-se com o artigo 52 da sua lei orgânica, introduzido em 2007, que refere que "as atribuições cometidas à Guarda pela presente lei em matéria de vigilância, protecção e segurança de infra-estruturas aeroportuárias não prejudicam a competência atribuída à PSP nos aeroportos actualmente existentes". O que significa, interpreta a GNR, que os aeroportos que viessem a ser construídos depois de 2007 na sua área de jurisdição seriam seus - sendo que essa disposição não afectaria os aeroportos internacionais da PSP existentes à data e construídos em território da GNR. É o caso do aeroporto internacional de Faro e o de Sá Carneiro, no Porto.

O facto de a Polícia de Segurança Pública controlar todos os aeroportos internacionais do país é o maior argumento da PSP. "Não faria sentido que, de repente, um único aeroporto com essas características fosse controlado pela GNR", diz fonte da PSP. "Além disso, há dois aeroportos que estão construídos na área da GNR, mas que são nossos", acrescenta. A mesma fonte contou ao i que, em 2008, terá havido "uma reunião no MAI", em que terá estado presente o comandante-geral da GNR e o director nacional da PSP. "E em que ficou decidido que a PSP ficaria com os aeroportos internacionais e a GNR com as principais vias rodoviárias do país." Só que, desde então, só foi publicada a portaria referente às estradas. Mas o que tem de tão importante, afinal, o aeroporto alentejano? "Abre precedentes sobre as competências no futuro aeroporto em Alcochete, que será construído na área territorial da GNR", explicaram ao i uma fonte da Guarda e uma fonte da PSP.

MAI não se pronuncia A GNR e a PSP parecem concordar num ponto: "É preciso que o MAI se pronuncie rapidamente, para pôr fim à discussão." Nas últimas duas semanas, o i tentou clarificar o assunto junto do ministério, mas sem sucesso.

A 21 de Março, o comandante distrital da PSP de Beja, Viola da Silva, disse aos jornalistas estar convicto de que a segurança do aeroporto lhe seria atribuída e acrescentou que o assunto "sempre foi tratado com a PSP" que, através do comando distrital de Beja, estaria a trabalhar no processo há "três anos". As declarações tiveram consequências na direcção nacional e, agora, Viola da Silva "não pode voltar a tocar no assunto", conta fonte da PSP. Questionado pelo i, o porta-voz da PSP, Paulo Flor, respondeu que o assunto "está na dependência do MAI" e acrescentou que, "até prova oficial por documento ou portaria", a PSP não faz comentários.

Já o coronel Garrido Gomes, comandante distrital da GNR de Beja, diz que a Guarda só quer "que seja cumprido o que está escrito na lei" e que a lei orgânica "atribui à GNR a responsabilidade" pelo novo aeroporto internacional. O coronel diz ainda que não foi convocado para "qualquer reunião" sobre o aeroporto desde 2007. "Nem sequer fui informado, oficialmente, de que há um novo aeroporto em Beja", diz.


http://www.ionline.pt/conteudo/114300-gnr-ou-psp-afinal-quem-faz-seguranca-do-aeroporto-beja

Voltar ao Topo Ir em baixo

avatar

Mensagem em Qui 31 Mar 2011 - 14:33 por focazero


A Guarda Nacional Republicana está contra a eventual entrega da vigilância e proteção do Aeroporto de Beja à PSP. A GNR afirma que caso isso aconteça o Estado não está a cumprir a lei orgânica da Guarda, que lhe confere competências no âmbito de novas infraestruturas aeroportuárias.
http://tv2.rtp.pt/noticias/?t=GNR-e-PSP-disputam-Aeroporto-de-Beja.rtp&headline=20&visual=9&article=429232&tm=8

Voltar ao Topo Ir em baixo

Mensagem  por Conteúdo patrocinado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 1 de 2 1, 2  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum