BRIGADA DE TRÂNSITO

PAINEL DO USUÁRIO
Convidado
Mensagens: 0


Alterar
Ver
Tópicos e mensagens

TRÂNSITO
LINKS RÁPIDOS

 



 
     
-
 
Votação

LIMITE VELOCIDADE NA AUTO ESTRADA

48% 48% [ 172 ]
52% 52% [ 185 ]

Total dos votos : 357

Navegação
 Portal
 Índice
 Membros
 Perfil
 FAQ
 Buscar
Dezembro 2017
SegTerQuaQuiSexSabDom
    123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031

Calendário Calendário

POSTO VIRTUAL

 




Exército sem dinheiro para comida

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

27112010

Mensagem 

Exército sem dinheiro para comida







O Ministro da Defesa, Augusto Santos Silva, decidiu congelar todas as despesas de bens e serviços dos três ramos das Forças Armadas para o mês de Dezembro. O despacho, do passado dia 18, apanhou de surpresa as várias unidades militares e os responsáveis financeiros nos ramos.
Isto porque, na prática, ficaram a saber dos cortes através do Sistema Integrado de Gestão. Algumas rubricas estavam a zero e outras «apenas com alguns euros que nem chegam para pagar a conta da luz e da água em Dezembro», como explicou ao SOL fonte militar.

Em causa, estão todas as despesas correntes para a manutenção dos quartéis, desde papel a combustíveis. Cada vez que é preciso comprar algum destes bens, os ramos fazem um pedido de libertação de crédito. Mas a torneira aparentemente fechou.

Orçamento esgotado

Na origem da decisão radical de Santos Silva está a contenção para 2010 e a suborçamentação dos ramos, ou seja, nesta altura do ano o orçamento já foi esgotado e isso está a pôr em causa o próprio pagamento de salários. O que acontece quase todos os anos é os ramos gastarem a verba total e depois, à última hora, pedirem mais dinheiro para pagar os salários de Dezembro porque sabem que, na prática, o Governo acaba sempre por garantir o pagamento dos ordenados. Desta vez, contudo, o ministro não parece estar pelos ajustes.

De facto, o Ministério da Defesa está em negociações com o Ministério das Finanças para garantir um reforço das verbas e pagar os salários de Dezembro (os ordenados de Novembro e o subsídio de Natal já foram processados sem problemas). Mas não o está a fazer sem custos para os ramos, e daí a decisão inédita de cortar as despesas correntes, como forma de aviso aos ramos para que não se repita a suborçamentação deste ano.

«Isto é absolutamente incrível», comentou ao SOL o presidente da Associação Nacional de Sargentos (ANS), António Lima Coelho.

graca.rosendo@sol.pt e helena.pereira@sol.pt

http://sol.sapo.pt/inicio/Sociedade/Interior.aspx?content_id=5408



focazero@hotmail.com
SOMOS A SOLUÇÃO NÃO O PROBLEMA = BT ATÉ MORRER
avatar
focazero
GENERAL
 GENERAL

PAÍS :
MENSAGENS : 521
LOCALIZAÇÃO : Portugal
INSCRIÇÃO : 21/04/2009

Voltar ao Topo Ir em baixo

Compartilhar este artigo em: diggdeliciousredditstumbleuponslashdotyahoogooglelive

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum