BRIGADA DE TRÂNSITO

PAINEL DO USUÁRIO
Convidado
Mensagens: 0


Alterar
Ver
Tópicos e mensagens

TRÂNSITO
LINKS RÁPIDOS

 



 
     
-
 
Votação

LIMITE VELOCIDADE NA AUTO ESTRADA

48% 48% [ 172 ]
52% 52% [ 185 ]

Total dos votos : 357

Navegação
 Portal
 Índice
 Membros
 Perfil
 FAQ
 Buscar
Fevereiro 2018
SegTerQuaQuiSexSabDom
   1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728    

Calendário Calendário

POSTO VIRTUAL

 




Estado comprou ao Estado dois quartéis em Coimbra

Ir em baixo

17092010

Mensagem 

Estado comprou ao Estado dois quartéis em Coimbra





Estado comprou ao Estado dois quartéis em Coimbra

O antigo quartel da GNR em Coimbra (Avenida Dias da Silva) e parte das instalações do Quartel da Graça (do Exército) foram vendidos à sociedade imobiliária ESTAMO. Os negócios foram concretizados nos últimos nove meses, mas não representaram qualquer encaixe financeiro para o Estado porque foram vendidos pelos Ministérios da Administração Interna e da Defesa Nacional a uma sociedade cujo capital é exclusivamente público (do universo Parpública).

Os valores transacionados foram de 7, 15 milhões para os 30 mil metros quadrados do quartel da GNR e de 2,42 milhões para a parcela do Quartel da Graça, localizada no alto da colina central de Coimbra, com entrada pela Rua de Aveiro, e com 13.400 metros quadrados de área.
Ambas as parcelas representam terrenos de grande valor imobiliário na cidade, mas nenhuma delas teve comprador particular, pelo menos até agora, porque o mercado imobiliário continua muito tímido e é necessário fazer uma alteração ao Plano Director Municipal (PDM).
No caso das instalações da GNR, depois da venda em dezembro do ano passado, a própria força de segurança passou a pagar uma renda, situação que motivou em junho – nas comemorações do Dia da Unidade – um lamento do comandante Dias Rosa: “inquilinos agora [no mesmo quartel], entrámos directamente no altar dos sacrifícios da venda de património para diminuição do défice público”.

Quartel da Graça
Mais ou menos na mesma data estava a ESTAMO a assumir a propriedade de parte do Quartel de Graça, assim que os ministérios das Finanças e Defesa Nacional publicaram em Diário da República dois despachos (dias 26 e 28 de abril) visando a respectiva desafetação “do domínio público militar e integrar no domínio privado disponível do Estado”.
O documento, assinado pelo ministro Santos Silva, dá conta da necessidade de “reaproveitamento do património excedentário ou inadequado afeto à Defesa Nacional”, com o objetivo de “gerar meios que possibilitem a melhoria das condições de operacionalidade requeridas pelas missões das Forças Armadas, nomeadamente através da concentração de infra-estruturas em zonas adequadas, libertando, assim, os espaços urbanos”.
O valor da venda “é afeto, na sua totalidade, à execução da Lei da Programação das Infra-Estruturas Militares, de acordo com o n.º 1 do artigo 14.º da Lei Orgânica n.º 3/2008”, conclui o documento.
Entretanto, caso a parcela do Quartel da Graça seja vendida a um promotor particular, vão ter que sair daquele terreno as oficinas de restauro e os armazéns do Museu Machado de Castro, bem como o espaço utilizado pela Polícia Judiciária para parqueamento de automóveis apreendidos.

http://www.asbeiras.pt/?p=6795


avatar
BTBRAVO
2º COMANDANTE
 2º COMANDANTE

PAÍS :
MENSAGENS : 6247
LOCALIZAÇÃO : Lisboa
EMPREGO : BRIGADA DE TRÂNSITO
INSCRIÇÃO : 05/02/2009

Voltar ao Topo Ir em baixo

Compartilhar este artigo em: diggdeliciousredditstumbleuponslashdotyahoogooglelive

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum