BRIGADA DE TRÂNSITO

PAINEL DO USUÁRIO
Convidado
Mensagens: 0


Alterar
Ver
Tópicos e mensagens

TRÂNSITO
LINKS RÁPIDOS

 



 
     
-
 
Votação

LIMITE VELOCIDADE NA AUTO ESTRADA

48% 48% [ 172 ]
52% 52% [ 185 ]

Total dos votos : 357

Navegação
 Portal
 Índice
 Membros
 Perfil
 FAQ
 Buscar
Julho 2017
SegTerQuaQuiSexSabDom
     12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31      

Calendário Calendário

POSTO VIRTUAL

 




Defesa "Negociatas mal explicadas" nas contrapartidas

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

12092010

Mensagem 

Defesa "Negociatas mal explicadas" nas contrapartidas






General afirma que a modernização militar deve dissociar-se desses projectos


Os novos armamentos e equipamentos para as Forças Armadas são uma "necessidade nacional", que "não podem estar sujeitos a negociatas de contrapartidas mal explicadas e que afectam a credibilidade nacional", afirmou o general Espírito Santo.

O ex-chefe do Estado-Maior General das Forças Armadas e agora director da Revista Militar intervinha num seminário sobre a NATO e o seu novo conceito estratégico - a aprovar na Cimeira de Lisboa, no próximo mês de Novembro - que se realizou, sexta- -feira, no Instituto de Defesa Nacional, em parceria com o Instituto Português de Relações Internacionais (IPRI).

Assinalando o contributo que a presença das Forças Armadas no exterior têm dado para "o prestígio" de Portugal e para a melhoria das suas capacidades militares, o general Espírito Santo advogou a sua continuação. "Mas para isso algumas mudanças são necessárias", referiu, nomeadamente nas relações civis-militares, que estão a entrar na sua "terceira fase".

"Algo terá de ser melhorado para o prestígio da instituição militar e sua maior ligação à Nação (...). Alguma inovação tem de ser encontrada" para se obterem "os recursos humanos necessários ao funcionamento e operacionalidade das Forças Armadas", sublinhou o general Espírito Santo, acrescentando: "Temos de encontrar forma de dispor atempadamente de capacidades militares que vamos perdendo por falta de regeneração de armamentos e equipamentos, que são necessidade nacional e por isso não podem estar sujeitos a negociatas de contrapartidas mal explicadas e que afectam a credibilidade nacional."
http://dn.sapo.pt/inicio/portugal/interior.aspx?content_id=1660564



focazero@hotmail.com
SOMOS A SOLUÇÃO NÃO O PROBLEMA = BT ATÉ MORRER
avatar
focazero
GENERAL
 GENERAL

PAÍS :
MENSAGENS : 521
LOCALIZAÇÃO : Portugal
INSCRIÇÃO : 21/04/2009

Voltar ao Topo Ir em baixo

Compartilhar este artigo em: BookmarksDiggRedditDel.icio.usGoogleLiveSlashdotNetscapeTechnoratiStumbleUponNewsvineFurlYahoo!Smarking

Defesa "Negociatas mal explicadas" nas contrapartidas :: Comentários

avatar

Mensagem em Dom 12 Set 2010 - 7:24 por robert langdon

"Algo terá de ser melhorado para o prestígio da instituição militar e sua maior ligação à Nação
Clarissimo está o prestigio dos Generais na GNR, em primeiro lugar pelo rombo no orçamento desta, e pelos seus direitos feudais.

É uma vergonha estes mestres da doutrina Militar onde advogam o espirito do umbigo estarem na nossa chefia.

Existem praças com cursos superiores (direito, psicologia e sociologia)com maior capacidade, nomeadamente humana para lidar e chefiar a nossas ocorrências diarias.

Neste caso nós os brigadeiros somos um exemplo cabal de luta contra este poder senhorial....................................

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum