BRIGADA DE TRÂNSITO

PAINEL DO USUÁRIO
Convidado
Mensagens: 0


Alterar
Ver
Tópicos e mensagens

TRÂNSITO
LINKS RÁPIDOS

 



 
     
-
 
Votação

LIMITE VELOCIDADE NA AUTO ESTRADA

48% 48% [ 172 ]
52% 52% [ 185 ]

Total dos votos : 357

Navegação
 Portal
 Índice
 Membros
 Perfil
 FAQ
 Buscar
Outubro 2017
SegTerQuaQuiSexSabDom
      1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031     

Calendário Calendário

POSTO VIRTUAL

 




Face Oculta

Página 2 de 3 Anterior  1, 2, 3  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

05022010

Mensagem 

Face Oculta




Face oculta

O ‘plano’ de Sócrates à beira das eleições

O SOL revela os despachos dos investigadores do ‘Face Oculta’, em que estes defenderam um inquérito ao mais alto nível: estava em curso um ‘plano’, com o primeiro-ministro à cabeça, para controlar a TVI e outros media

A explicação surge de forma simples e sem margem para dúvidas: surgiram «indícios muito fortes da existência de um plano em que está directamente envolvido o Governo, nomeadamente o senhor primeiro-ministro» , visando «a interferência no sector da comunicação social e afastamento de jornalistas incómodos». Isto a três meses das eleições legislativas e com «prejuízo» para a PT.

Os órgãos e as pessoas visadas nesse «plano» eram, em primeiro lugar, a TVI, José Eduardo Moniz e Manuela Moura Guedes. Mas mais: «resultam ainda fortes indícios de que as pessoas envolvidas no plano tentaram condicionar a actuação do senhor Presidente da República».

Estas são as palavras usadas pelo procurador da República e pelo juiz de instrução do processo ‘Face Oculta’ para fundamentar os despachos que deram, em final de Junho do ano passado, mandando extrair certidões para que fosse instaurado um inquérito autónomo ao referido «plano», que consideravam consubstanciar um crime de «atentado contra o Estado de Direito».

São estes despachos – até agora desconhecidos, do procurador João Marques Vidal e do juiz de instrução António Gomes – que o SOL revela e publica nesta edição. A sua leitura integral, bem como das principais escutas telefónicas que os suportam, permite perceber as razões por que dois magistrados consideraram que devia ser instaurado um inquérito que visaria directamente o primeiro-ministro e vários gestores da área do PS, alguns já arguidos no ‘Face Oculta’.

http://sol.sapo.pt/PaginaInicial/Sociedade/Interior.aspx?content_id=161798&dossier=Caso%20Face%20Oculta

Escutas proibidas indiciam plano de Sócrates para controlar TVI

O SOL revela um extracto do despacho do juiz do caso ‘Face Oculta’ sobre as escutas proibidas ente Paulo Penedos e Armando Vara. O texto garante que há indícios de um plano para controlar a TVI, envolvendo Sócrates

O extracto do despacho do juiz do processo ‘Face Oculta’ refere que «das conversações entre Paulo Penedos eArmando Vara resultaram indícios muito fortes da existência de um plano em que está directamente envolvido o Governo, nomeadamente o primeiro-ministro, visando o controlo da estação de televisão TVI e o afastamento da jornalista Manuela Moura Guedes e do seu marido, José Eduardo Moniz, para controlar o teor das notícias».

De acordo com o mesmo despacho, «resultam ainda fortes indícios de que as pessoas envolvidas no plano tentaram condicionar a actuação do Presidente da Republica, procurando evitar que o mesmo fizesse uma apreciação crítica do negócio».

Ainda na primeira página o SOL publica um editorial sobre a divulgação do despacho:

A publicação dos textos incluídos nesta edição sobre o caso Face Oculta suscitará acusações de violação do segredo de Justiça. Tal não tem fundamento. A questão sobre a qual versam estas notícias – a existência de um plano para controlar a comunicação social – já não se encontra em segredo de Justiça, visto que foi objecto de uma decisão de arquivamento por parte do presidente do Supremo Tribunal de Justiça. Decisão essa que não tem recurso e determina a destruição das escutas. Para todos os efeitos, é matéria transitada em julgado.

Na sua intervenção na abertura do ano judicial, o Presidente da República apelou aos meios de comunicação social para não violarem o segredo de Justiça, pois «a investigação não deve ser perturbada por fugas de informação ou interferências externas», devendo antes «prosseguir o seu caminho até ao fim, com eficácia e tranquilidade».

Ora, a investigação judicial sobre este assunto seguiu o seu caminho ‘até ao fim’, tendo o procurador-geral da República e o presidente do Supremo decidido sobre ele como entenderam. Cabe agora aos leitores avaliar se a Justiça actuou bem ao desvalorizar estes dados – ou se, pelo contrário, com essa decisão procurou proteger o poder político. Este é o primeiro trabalho de uma investigação levada a cabo pela equipa do SOL. Nas próximas edições continuaremos a publicar o resultado desta investigação jornalística.

http://sol.sapo.pt/PaginaInicial/Sociedade/Interior.aspx?content_id=161796&dossier=Caso%20Face%20Oculta

Gabinete do primeiro-ministro recusa reacção para já

O gabinete de José Sócrates, contactado pelas SIC Notícias, afirma que não vai ser feita qualquer reacção, para já. E lembra que o caso já foi arquivado

http://sol.sapo.pt/PaginaInicial/Sociedade/Interior.aspx?content_id=161797&dossier=Caso%20Face%20Oculta


Última edição por BTBRAVO em Sex 7 Maio 2010 - 2:30, editado 4 vez(es)


avatar
BTBRAVO
2º COMANDANTE
 2º COMANDANTE

PAÍS :
MENSAGENS : 6247
LOCALIZAÇÃO : Lisboa
EMPREGO : BRIGADA DE TRÂNSITO
INSCRIÇÃO : 05/02/2009

Voltar ao Topo Ir em baixo

Compartilhar este artigo em: BookmarksDiggRedditDel.icio.usGoogleLiveSlashdotNetscapeTechnoratiStumbleUponNewsvineFurlYahoo!Smarking

Face Oculta :: Comentários

avatar

Mensagem em Seg 15 Fev 2010 - 9:49 por BTBRAVO

Entrevista a Mário Crespo
"Este Governo não tem condições para continuar"

Vejo o vídeo da parte da entrevista em que Mário Crespo revela que recebeu a solidariedade de Manuel Alegre. E leia a entrevista em que afirma, entre outras coisas, que "seria capaz de entrevistar Sócrates, claro!"

Noticia completa em:

http://aeiou.visao.pt/este-governo-nao-tem-condicoes-para-continuar=f547937

Voltar ao Topo Ir em baixo

avatar

Mensagem em Seg 15 Fev 2010 - 11:15 por lucifer

A Democracia Satanica é uma realidade corrupta e manipuladora do cidadão
e da Liberdade. Enganam-me uma vez, vergonha para quem me enganou. Enganam-me duas vezes, a vergonha é toda minha! "“Fool me once, shame on you; fool me twice, shame on me”"

"É com alguma satisfação que posso chamar nosso primeiro ministro de intrujão. José Sócrates é o maior intrujão que conheço e um mentiroso descarado o que o torna também num dos maiores hipócritas que conheço. Ao contrário de outros casos em que era evidente a culpabilidade e a justiça impediu que pudéssemos chamar pelo nome adequado de ladrões, pedófilos, corruptos etc., neste caso quem quiser chamar de intrujão e mentiroso ao Sócrates é não só bem vindo como está protegido por todas as mentiras públicas que José Sócrates cometeu."

"Demo de Democracia"

Voltar ao Topo Ir em baixo

avatar

Mensagem em Seg 15 Fev 2010 - 11:17 por lucifer

Marcelo Rebelo de Sousa considera que José Sócrates tem "uma relação difícil com a verdade".

O antigo líder social-democrata disse ontem, na RTP, que "é muito difícil manter um mentiroso como primeiro-ministro, mas a situação do país impõe-no", sublinhando que "está tudo mal explicado" na história de José Sócrates.

Voltar ao Topo Ir em baixo

avatar

Mensagem em Ter 16 Fev 2010 - 3:24 por BTBRAVO

Ex-ministro Mário Lino disse à SIC que Sócrates não sabia do negócio PT/TVI

Mário Lino garante que nunca deu orientações à PT para comprar a TVI e que o primeiro-ministro não sabia do negócio. Numa entrevista à SIC, o ex-ministro das Obras Públicas acusa a oposição de cozinhar uma “patranha”

Mário Lino garante vezes sem conta que o Governo não sabia da intenção da PT em comprar a TVI nem tinha de saber.

Mário Lino reconhece ainda assim que para o Governo o Jornal de Sexta da TVI não era do agrado. Com a pressão política, o Governo acabou por travar o negócio. Afinal estávamos paredes-meias com as eleições.

Mário Lino admite ainda que conhece Rui Pedro Soares, o administrador da PT apanhado nas escutas, num plano para controlar vários grupos de comunicação social.

O ex-ministro garante que almoçaram várias vezes mas que nunca se falou da TVI. Mário Lino duvida ainda das escutas e das conclusões das escutas.

Longe do Governo, assistindo de fora ao turbilhão político na Face Oculta, Mário Lino acredita que tudo não passa de novos ataques da direita contra José Sócrates.

http://sic.sapo.pt/online/noticias/pais/Ex+ministro+Mario+Lino+disse+a+SIC+que+Socrates+nao+sabia+do+negocio+PT+TVI.htm

Voltar ao Topo Ir em baixo

avatar

Mensagem em Ter 16 Fev 2010 - 8:42 por lucifer

16 Fevereiro 2010 - 00h30

Dia a dia
Guardiões da honra
Uma das coisas mais escandalosas que a ‘Face Oculta’ tem revelado é a ligeireza com que se multiplicam os insultos de dirigentes do PS aos investigadores e magistrados do caso. O mais irrelevante do que tem sido dito está na multidão de rapaziada embasbacada com Sócrates que pulula pela internet.


Uns mais desinteressados, outros puramente empenhados em defender umas migalhas, todos muito encandeados com a luminosidade da propaganda governamental. Agora veio o advogado Proença de Carvalho, que há anos diaboliza polícias e magistrados. Habitualmente com opiniões respeitáveis, desta vez com adjectivos inqualificáveis. Por fim, o candidato do PS rotundamente derrotado nas Europeias, Vital Moreira, que despejou todo o desprezo que é capaz na expressão "agente local", qualificativo aplicado ao Ministério Público de Aveiro. Estes continuadores da prosápia governamental fazem tábua rasa do trabalho e da seriedade de pessoas que servem o Estado, algumas há mais de 30 anos, e com inegável competência e prestígio. Alguns dos prestimosos guardiões da honra de Sócrates são só patetas, mas outros têm responsabilidades públicas e políticas sérias. Mais valia que soubessem estar calados quando não sabem conciliar a defesa de amigos com o respeito pelo trabalho dos outros.





Eduardo Dâmaso, Director-Adjunto
Correio da Manhã

Voltar ao Topo Ir em baixo

avatar

Mensagem em Ter 16 Fev 2010 - 8:47 por lucifer

11 Fevereiro 2010 - 00h30

Heresias
A coisa pega-se
Tenho vergonha que José Sócrates seja primeiro-ministro de Portugal. Não é uma questão política mas sim de pudor. Alguém que amontoa atrás de si um acervo de escândalos demasiado caudaloso para ser ignorado, mantém-se no poder com o ar indiferente dos que há muito largaram os pruridos de consciência.


Sócrates tem a consideração pela democracia de um tiranete sul-americano e age sobre a liberdade de imprensa com a desfaçatez de um Berlusconi.

Mas, pelos vistos, as pessoas de bem do PS encarreiraram na arte de negar o carácter molhado da chuva: desmentindo a história do PS, preferem os ganhos imediatos do partido aos interesses do País.

Só isso traz alguma luz às singulares declarações de Alberto Martins, aos silêncios de António José Seguro e de Jaime Gama, entre outros.





Carlos Abreu Amorim, Jurista

Voltar ao Topo Ir em baixo

avatar

Mensagem em Ter 16 Fev 2010 - 12:53 por escorpião da estrada

A face oculta, depende da forma como cada um a vê!
Ele é, cheques para o CDS/PP, que por magia desapareceram, e como deste governo não faz parte ninguém deste partido, os jornais calam-se.
Agora surgiu uns romores, que Santana Lopes também se abotuou a 3 cheques no valor de € 72.000, ora como também não faz parte deste governo, os jornais calam-se.
Neste processo, foram indiciados dois elementos da ex BT/GNR com TIR, como prestaram uma caução e são arraia miuda, os jornais calam-se.
Estou convencido que pelo andar da carruagem, não vai ser só este PM a ser empandeirado. Pelo mexer na água muito lodo vai vir ao de cima.
SEMPRE.

Voltar ao Topo Ir em baixo

avatar

Mensagem em Ter 16 Fev 2010 - 16:48 por Faraó

Huí! Se começarem a investigar os oficiais superiores da GNR, que desde o gasoleo para os pópós, até à palha para os cavalos, nossa senhora, até doi.
Então e o dinheiro dos serviços sociais, com farmácias, para onde foi?
Só os agentes da BT é que eram corruptos? Vergonhoso, porque da BT, só encontraram dois ou tres militares, o que é uma insignificância, pois em qualquer instituição, é normal isto acontecer.
O problema da BT, era a formação da grande maioria dos seus homens. Isso sim, incomodava muita gente. Mas certamente continuará a incomodar, porque o verdadeiro homem da BT, não se cala, sempre assim foi, e, sempre assim será.
Abaixo os fracos e sabujos.

Voltar ao Topo Ir em baixo

avatar

Mensagem em Qua 17 Fev 2010 - 2:05 por BTBRAVO

Ex-director do «Público» conta interferências do Governo

José Manuel Fernandes relatou, recorrendo até a exemplos concretos, a relação tensa que Sócrates tinha com o jornal

O ex-director do «Público» afirmou no Diário da Noite do tvi24 que existem interferências dos poderes político e económico nos órgãos de comunicação social. José Manuel Fernandes relatou, recorrendo até a exemplos concretos, a relação tensa que o primeiro-ministro teve sempre com o diário que dirigia.

Veja o vídeo da entrevista

«Uma coisa é a liberdade de expressão, acho que ninguém pode dizer honestamente que há falta de liberdade de expressão. Outra coisa é a liberdade de informação, e no que diz respeito à liberdade de informação, em Portugal há alguns problemas, mas que não têm a ver exclusivamente com o poder político», afirmou.

José Manuel Fernandes contou depois que Sócrates nunca teve uma boa relação com o «Público», relatou um caso de uma entrevista a um ministro que acabou por ser adiada por ordem do primeiro-ministro e os «avisos» que Sócrates fazia aos jornalistas do diário.

O ex-director do Público disse ainda que ficou «siderado» quando ouviu pela primeira vez as escutas do processo Face Oculta e defende que o Procurador-Geral da República deve dar explicações. No entanto, adianta que «neste processo, quem tomou a decisão mais importante foi o presidente do Supremo Tribunal de Justiça e está agora a ver se passa entre as pingas da chuva».

O jornalista será esta quarta-feira ouvido na primeira de uma série de audições na Comissão Parlamentar de Ética sobre as alegadas pressões do Governo à Comunicação Social.

http://www.tvi24.iol.pt/politica/jose-manuel-fernandes-publico-socrates-ps-tvi24-ultimas-noticias/1139807-4072.html

Voltar ao Topo Ir em baixo

avatar

Mensagem em Qua 17 Fev 2010 - 7:01 por roda 7

Administradores da PT receberão cinco milhões se forem despedidos


A dois anos do final de mandato, Soares Carneiro e Rui Pedro Soares poderiam custar mais de cinco milhões de euros à PT, caso fossem afastados sem prova de justa causa.

A dois anos do final de mandato, Soares Carneiro e Rui Pedro
Soares (na foto à direita) poderiam custar mais de cinco milhões de
euros à PT, caso fossem afastados sem prova de justa causa.

Este
valor corresponde aos salários que os dois administradores receberiam,
no seu conjunto, até ao termo do seu contrato. Mas este cenário é pouco
provável, e a mudança de pelouros ou a suspensão dos cargos também não
afasta a pressão sobre a administração.





http://www.jornaldenegocios.pt/index.php?template=SHOWNEWS&id=410411

Voltar ao Topo Ir em baixo

avatar

Mensagem em Qua 17 Fev 2010 - 13:59 por escorpião da estrada


//





Editorial

Isabel Stilwell


E se falássemos do polvo da Madeira?





  • E se falássemos do polvo da Madeira?

17 | 02 | 2010
Isabel Stilwell | editorial@destak.pt


Enquanto pelo continente não se falava de mais nada senão do «Polvo», título que o jornal Sol deu ao seu dossiê sobre as escutas, o director do Diário de Notícias da Madeira, Luís Calisto, escrevia um texto digno de nota sobre a liberdade de expressão naquele arquipélago.
De facto, compreende-se o desespero de quem há décadas protesta contra a «asfixia democrática», de quem entregou queixas na ERC e ao presidente da República, sem obter resposta, ao perceber que a questão que neste momento leva o país ao rubro, é tratada com total indiferença quando acontece lá longe no Funchal. Mais ainda que aqueles que agora bradam contra os perigos para o Estado de Direito, são exactamente os mesmos que quando vão à Madeira fecham os olhos às violações chocantes que ali acontecem. Nomeadamente ao facto de o Governo Regional financiar directamente o Jornal da Madeira, o único que recebe toda a publicidade institucional, e onde Alberto João publica a sua coluna de opinião várias vezes por semana.
Escreve, a linhas tantas, Luís Calisto: «Mas... e se Sócrates, mais do que querer já tivesse comprado a TVI, alimentando-a com dinheiros públicos e proibindo a estação de divulgar a opinião de políticos não PS, reservando toda a antena para quem obedece ao regime rosa, tal como Jardim faz aqui com o Jornal da Madeira, dispensando-se de guardanapo? Fizesse-o Sócrates e o País estaria hoje em situação de guerra civil.» Para, mais à frente, perguntar: «E se Sócrates fizesse como o sr. Jardim, que calunia, insulta e enxovalha directamente os jornalistas com epítetos de corruptos, traidores, comunas, súcias, fascistas, tolos, incapazes, incultos, vingativos, desonestos, gente reles, mentes recalcadas, bastardos, exóticos, incumpridores de estatutos editoriais, ralé que não toma banho? E as jornalistas de vendidas, descompensadas, sovaqueiras. Que seria de um Sócrates cavalgando tal paradigma?»
Para além do mais, para provar o caso da Madeira, nem seriam precisas escutas, nem complicadas diligências, já que Alberto João Jardim faz questão de dizer e fazer tudo às claras. Afinal, sabe que o seu polvo é melhor do que o do continente, como aliás se viu na Lei das Finanças Regionais.

Voltar ao Topo Ir em baixo

avatar

Mensagem em Qui 18 Fev 2010 - 13:00 por lucifer

"E se Sócrates fizesse como o sr. Jardim, que calunia, insulta e enxovalha directamente os jornalistas com epítetos de corruptos, traidores, comunas, súcias, fascistas, tolos, incapazes, incultos, vingativos, desonestos, gente reles, mentes recalcadas, bastardos, exóticos, incumpridores de estatutos editoriais, ralé que não toma banho? "

"A liberdade de expressão e Alberto João Jardim
- Você ouviu-o dizer «Fuck them!»?
- Sim, claro. Devo dizer que fiquei incrédulo e ainda esfreguei o ouvido.
- Parece-lhe pessoa incapaz de tal?
- Bom, como direi?… Incapaz, propriamente, não. Mas ainda assim…
- O que é da vida sem novos desafios, Pamplinas? E a verdade é que, nesta matéria, ele já quebrou records sucessivos.

- É que ele não disse, como notou, «Que se fodam!» Ou, para usar aquela magnífica demonstração da criatividade do nosso vernáculo, que não pode deixar de ter ocorrido ao espírito de muita gente ao ouvi-lo, «Caralhos os fodam!» Na hora H, recorreu ao inglês…"

"Os Livros Ardem Mal"

Voltar ao Topo Ir em baixo

avatar

Mensagem em Qui 18 Fev 2010 - 13:02 por lucifer

O Governo fala em déficit excessivo, e não quer que a Madeira receba mais dinheiro. Todavia, este mesmo Governo, no Orçamento de Estado que apresenta para este ano afecta 60% das verbas do PIDAC para Lisboa.



Isto vem demosntrar o que há muito penso e digo. Lisboa é o centro do poder, tudo se decide em Lisboa, tudo se passa em Lisboa, e o resto do País não existe, porque não passa de mera Provincia. Portugal é Lisboa, e o resto é paisagem. Os portugueses inteligentes são os de Lisboa, e o resto da polulação não passa de meros acéfalos, provincianos e labregos. Lisboa é centralista, é arrogante, é prepotente, é presunçosa e é (pseudo) elitista. Lisboa, com excepção do Estádio da Luz, das tabuletas de trânsito que dizem A1 Norte, e dos placards informativos existentes nas Estações de Santa Apolónia e do Oriente, e que indicam os comboios que partem para o Norte, para a Beira Alta e para a Beira Baixa, não tem dada de bonito, nada que preste e nada de bom que se lhe possa apontar. Lisboa é um ântro de intriga, de maledicência, de oportunistas e de trafulhas. Lisboa não interessa a ninguém com o mínimo de bom senso.



Porém, essa mesma Lisboa, cínica e hipócrita, quando aparece alguém a reinvindicar investimento para a sua região, e alguém que ousa criticar o centralismo asfixiante e paranoíco que se vive na (ainda) capital de Portugal, quase que se insurge como uma virgem púdica e ofendida, e diz que o País não tem dinheiro para devaneios. Mas essa mesma Lisboa suga para si 60% das verbas do PIDAC.

"Novadireita"

Voltar ao Topo Ir em baixo

avatar

Mensagem em Qui 18 Fev 2010 - 14:42 por solamente

Ai ai, por onde anda o 25 de Abril? E foram estes homens que andaram na rua, junto do povo, a gritar por justiça social, melhores condições de vida para os portugueses. Agora colam-se ao fascismo que renasce em todo o mundo e no seio da União Europeia, tal como aconteceu na Alemanha nazi do pré-2.ª-Guerra-Mundial. Muitas pessoas nem sequer imaginam o que aí vem. A história já nos provou do que são capazes os políticos incompetentes e corruptos, mas nunca nos cansamos de aprender mais uma lição, não é verdade?

Voltar ao Topo Ir em baixo

avatar

Mensagem em Qui 18 Fev 2010 - 16:47 por solamente

«Sol»: «Assim falam os boys» O semanário «Sol» volta a publicar na sua edição desta sexta-feira escutas relativas ao processo «Face Oculta». Na capa, o jornal coloca a cara de Paulo Penedos e de Marcos Perestrello.

Num primeiro balão surge uma citação atribuída ao assessor do administrador da PT Rui Pedro Soares: «O meu chefe [Rui Pedro Soares, administrador da PT] vai para Milão, segunda-feira, encontrar-se com o Figo para uma coisa uma bocado pornográfica. Conseguiu que o Figo Apoiasse o Sócrates. Pediu que eu fizesse um contrato com a Fundação Luís Figo, a razão de 250 mil euros por ano».
Em resposta, Marcos Perestrello, secretário de Estado da Defesa e membro do Secretariado do PS, diz: «E isso vale muitos votos! Essa m... dá muitos subsídios de desemprego.»
No fundo da página o semanário escreve ainda: «A verdade do negócio com Figo. As contradições dentro da PT. As "fintas" a Isaltino. A promiscuidade com jornalistas.»

http://diario.iol.pt/sociedade/sol-paulo-penedos-marcos-perestrello-face-oculta-tvi24/1140439-4071.html

Voltar ao Topo Ir em baixo

avatar

Mensagem em Sex 19 Fev 2010 - 4:03 por BTBRAVO

Veja a primeira página do SOL

SOL

Voltar ao Topo Ir em baixo

avatar

Mensagem em Seg 22 Fev 2010 - 3:57 por lucifer

"Exige-se ao PGR que assuma as responsabilidades perante os erros processuais cometidos."
Alberto Martins, líder parlamentar do PS em 2005 no processo Casa Pia.


"Além de descabidos e inaceitáveis, são um perigoso precedente os ataques feitos ao PGR e ao presidente do STJ, os quais agiram no âmbito das suas competências."
Alberto Martins, Ministro da Justiça em 2010, processo "Face Oculta"


Basketball

Voltar ao Topo Ir em baixo

avatar

Mensagem em Seg 22 Fev 2010 - 5:45 por BTBRAVO

Pinto Monteiro: "Só seis pessoas sabiam do meu despacho"

O procurador-geral da República diz que nunca mentiu sobre o seu despacho. E mandou Maria José Morgado abrir inquérito com prioridade e urgência para saber quem o divulgou aos jornais

O procurador-geral da República falou com Maria José Morgado e deu ordens à procuradora-geral adjunta para que o DIAP (Departamento de Investigação e Acção Penal) de Lisboa abra um inquérito "com prioridade e urgência" para averiguar quem fez chegar aos jornais um dos despachos do próprio procurador-geral que arquivava uma das certidões vindas de Aveiro.

O PGR estava na Suíça, no Tribunal Europeu dos Direitos do Homem, e só voltou a Lisboa no fim da semana. E terá ficado estarrecido com a divulgação de um dos seus despachos em vários jornais. Na verdade, pelo menos o "Diário de Notícias" e o "Correio da Manhã" transcreviam vários trechos do despacho de Fernando Pinto Monteiro que arquivava as certidões enviadas pelo procurador João Marques Vidal para investigar um eventual atentado ao Estado de Direito que envolveria o primeiro-ministro, José Sócrates, e alguns dos seus próximos.

Pinto Monteiro, mesmo encontrando-se no estrangeiro, falou com a directora do DIAP de Lisboa e mandará hoje mesmo a ordem de "abertura de inquérito com prioridade e urgência" para determinar quem exactamente fez circular o seu despacho e o entregou aos jornalistas. O caso é especialmente grave porque só cinco ou seis pessoas tiveram acesso ao despacho. Pinto Monteiro recusa-se a entrar em detalhes sobre o inquérito e remete todas as explicações para o seu gabinete. O PGR tem agora de ler os jornais e voltar a ver os seus despachos de arquivamento das certidões de Aveiro.

Este inquérito é especialmente delicado. O i apurou que são efectivamente muito poucos os que tiveram acesso aos despachos do procurador-geral sobre as escutas que continham conversas do primeiro-ministro. "Só cinco ou seis pessoas", de acordo com Pinto Monteiro.

Aqui há (mais) despacho O PGR não deve ter gostado nada da interpretação que dois jornais de ontem fizeram de partes do conteúdo do seu despacho. O "Correio da Manhã" titulava "Arquivamentos desmentem PGR" e acusava Pinto Monteiro de ter mentido nas notas à comunicação social ao dizer que não podia revelar os seus despachos pois eles continham parte das transcrições das escutas ao primeiro-ministro, constantes das certidões e entretanto consideradas nulas pelo presidente do Supremo Tribunal da Justiça. Por seu lado, o "Diário de Notícias" acusava o PGR de ter mentido ao Parlamento por ter dito "que não podia divulgar os despachos de arquivamento do processo contra Sócrates por incluírem escutas com o primeiro- -ministro". Ora, os referidos jornais publicaram apenas uma parte e de um só dos despachos do PGR, o segundo, de Outubro passado. Pinto Monteiro garante: "Eu nunca disse à comunicação social ou ao Parlamento uma única coisa que não fosse verdadeira!"
http://www.ionline.pt/conteudo/47784-pinto-monteiro-so-seis-pessoas-sabiam-do-meu-despacho-

Voltar ao Topo Ir em baixo

avatar

Mensagem em Seg 22 Fev 2010 - 16:01 por BTBRAVO

Face Oculta: Se alguém invocou o meu nome fê-lo abusivamente - Sócrates

Lisboa, 22 fev (Lusa) - O primeiro ministro afirmou hoje que, se alguém invocou o seu nome nas escutas referentes à tentativa compra da TVI pela PT, fê-lo de forma "abusiva" e defendeu-se neste caso invocando o despacho do Procurador Geral da República.

Lisboa, 22 fev (Lusa) - O primeiro ministro afirmou hoje que, se alguém invocou o seu nome nas escutas referentes à tentativa compra da TVI pela PT, fê-lo de forma "abusiva" e defendeu-se neste caso invocando o despacho do Procurador Geral da República.

As afirmações de José Sócrates foram proferidas em entrevista à SIC, na segunda parte do programa "Sinais de Fogo", do jornalista Miguel Sousa Tavares.

Na parte inicial da entrevista, em que se abordaram as escutas realizadas no âmbito do processo "Face Oculta", José Sócrates foi confrontado com as referências feitas ao seu nome pelo ex-administrador da PT Rui Pedro Soares e pelo advogado Paulo Penedos.
http://aeiou.visao.pt/face-oculta-se-alguem-invocou-o-meu-nome-fe-lo-abusivamente-socrates=f549090

Voltar ao Topo Ir em baixo

avatar

Mensagem em Seg 22 Fev 2010 - 16:03 por BTBRAVO

«A mim ninguém me trata por chefe»

José Sócrates distancia-se das escutas e volta a negar qualquer envolvimento do negócio PT/TVI

José Sócrates voltou a recusar esta segunda-feira à noite ter tido qualquer conhecimento ou envolvimento na tentativa da compra da TVI por parte da PT. Numa entrevista a Miguel Sousa Tavares, na SIC, o primeiro-ministro distanciou-se ainda das escutas do processo Face Oculta - cuja divulgação criticou - e das referências que supostamente lhe são feitas. «A mim ninguém me trata por chefe», garantiu.

Na estreia do programa «Sinais de Fogo», do canal de Carnaxide, José Sócrates foi questionado sobre o apoio que recebeu de Luís Figo nas legislativas, recusando que tenham sido utilizados quaisquer dinheiros públicos para financiar a campanha eleitoral, por causa de um contrato assinado entre a Tagus Parque (que tem maioria de capitais públicos) e o ex-futebolista. «O apoio que o Figo deu ao PS e a mim próprio foi um apoio livre e generoso e independente de qualquer contrato, que eu aliás desconhecia que o Figo ou a Fundação Figo, tivessem feito», assegurou.

José Sócrates criticou ainda que se tirem ilações das escutas publicadas pelo semanário «Sol», em que o tema surge em conversa entre o ex-administrador executivo da PT Rui Pedro Soares e o assessor jurídico da empresa Paulo Penedos e este último se refere ao negócio como «pornográfico». «Espero que não me obrigue a comentar conversas entre pessoas que são privadas», disse, salientando que cabe à justiça investigar as conversas que são escutadas.

Depois o primeiro-ministro voltou a negar qualquer envolvimento na tentativa de compra da TVI por parte da PT. «Nunca fui informado, nem nunca dei orientações sobre esse negócio», assegurou. Sobre as supostas referências a si, José Sócrates apontou: «Se alguém invocou o meu nome, invocou incorrectamente». Quanto à expressão «chefe», que surge nas conversas entre Paulo Penedos e Rui Pedro Soares, o líder socialista garantiu: «As referências a chefe devem ser a outras pessoas, porque a mim ninguém me trata por chefe».

Na defesa de que não teve nada a ver com estas matérias, José Sócrates recordou que o procurador-geral da República afastou a possibilidade existir qualquer envolvimento seu na tentativa de comprar a TVI, na base das escutas que analisou. E mostrou-se disposto a responder perante uma comissão parlamentar de inquérito.

«Política disfarçada de jornalismo»

O primeiro-ministro recusou sofrer qualquer desgaste de imagem por causa das polémicas que se têm sucedido, argumentando que tanto no caso da licenciatura como no caso Freeport nunca se provou qualquer ilicitude da sua parte.

«Estou aqui, não a usurpar o lugar de ninguém, mas pelo voto dos portugueses», apontou, criticando os «dirigentes políticos» que usam estes casos para o atacar politicamente, «sem nenhuma prova».

O fim do Jornal de Sexta, na TVI, também esteve em cima da mesa, durante a entrevista. José Sócrates recusou responder se «ficou satisfeito» com o seu final. Negou ter tido qualquer envolvimento nessa decisão, mas censurou o bloco informativo dirigido por Manuela Moura Guedes: «O Jornal de Sexta, no meu ponto de vista, não era jornalismo. Era política disfarçada de jornalismo. O Jornal de Sexta só tinha um objectivo, que era destruir-me politicamente e impedir-me de ganhar eleições.»
http://www.tvi24.iol.pt/politica/socrates-face-oculta-tvi24-sic-pt-tvi/1141404-4072.html

Voltar ao Topo Ir em baixo

avatar

Mensagem em Seg 22 Fev 2010 - 16:07 por BTBRAVO

José Sócrates sobre apoio de Luís Figo: “É uma ignomínia o que foi dito"

Em entrevista a Miguel Sousa Tavares, na estreia do programa "Sinais de Fogo" na SIC, o primeiro-ministro José Sócrates afirmou que “é uma ignomínia o que foi dito sobre o apoio de Luís Figo”. “Foi um apoio livre e generoso de Luís Figo”, afirmou, acrescentando: “o apoio honra-me muito, é um apoio livre de um cidadão livre”.

http://noticias.sapo.pt/info/artigo/1047989.html

Voltar ao Topo Ir em baixo

avatar

Mensagem em Ter 23 Fev 2010 - 10:28 por BRIOSA BT

Face Oculta: Magistrados do MP "estupefactos" com declarações de Cândida Almeida sobre segredo de justiça

23 de Fevereiro de 2010, 13:20


Lisboa, 23 fev (Lusa) - A direção do Sindicato dos Magistrados do Ministério Público (SMMP) manifestou-se hoje "incrédula e estupefacta" perante as declarações da procuradora geral adjunta Cândida Almeida, que defendeu escutas a magistrados para proteger o segredo de justiça.

"A experiência profissional da Dr.ª Cândida Almeida - a primeira mulher magistrada do país, como a própria relembra - faziam supor outro grau de elaboração e ponderação quando se trata de fazer sugestões em matéria de tamanha delicadeza como é a do segredo de justiça", escreve a direção do sindicato.

As críticas surgem depois de, numa entrevista publicada segunda feira no Jornal de Negócios, a responsável pelo Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) ter defendido um aumento das penas para o crime de violação do segredo de justiça, que permitisse o alargamento dos meios de investigação, nomeadamente a utilização de escutas telefónicas. A magistrada defende que essas penas "seriam aplicadas a todos, desde o magistrado ao funcionário".

http://noticias.sapo.pt/lusa/artigo/10715599.html

Voltar ao Topo Ir em baixo

avatar

Mensagem em Qua 24 Fev 2010 - 14:23 por escorpião da estrada

Estou de acordo com a Dr.ª Cândida Almeida.
Não pode haver dois pesos e duas medidas.
Quem autoriza a "fabricação" de mal dizer, mais cedo ou mais tarde, acaba por provar do produto que autorizou.
Porque é que, sendo eu um agente de fiscalização de trânsito, posso ser escutado e os Juízes não?

Voltar ao Topo Ir em baixo

avatar

Mensagem em Qui 25 Fev 2010 - 5:04 por BTBRAVO

"Sábado" revela nova escuta que envolve José Sócrates

A revista "Sábado" divulga hoje uma nova escuta que envolve José Sócrates. Numa conversa entre Paulo Penedos e Rui Pedro Soares, o antigo administrador da PT diz que o primeiro-ministro estaria furioso por não ter sido informado do negócio da TVI.

De acordo com a "Sábado", Rui Pedro Soares admite ter falado com José Sócrates sobre o negócio da TVI. Numa escuta, de 25 de Junho de 2009, o antigo administrador da PT diz a Paulo Penedos que conversou com o primeiro-ministro sobre o assunto e que Sócrates estaria descontente por não ter sido informado sobre os pormenores da operação.

A escuta contraria as últimas declarações do primeiro-ministro que sempre garantiu que não tinha comunicado com a administração da PT sobre o negócio da TVI. A última vez aconteceu, ainda esta semana, na entrevista a Miguel Sousa Tavares, em “Sinais de fogo”.

“Jantei com o Rui Pedro Soares em várias ocasiões, nunca falei sobre a PT, nunca falei com nenhum administrador. Já disse isto várias vezes e mantenho”, reafirmou a 22 de Fevereiro.

De acordo com a Sábado, a conversa foi uma das que estiveram na base de pelo menos um dos despachos de arquivamento de Pinto Monteiro sobre um alegado crime de atentado contra o Estado de Direito praticado por José Sócrates.

E é aqui que surgem suspeitas. O conteúdo da escuta, divulgada pela Sábado, contraria conversas anteriores entre Rui Pedro Soares e Paulo Penedos sobre o negócio da TVI e a alegada concordância do primeiro-ministro.

Diz a Sábado que, a partir de 25 de Junho, os investigadores do Ministério Público e da PJ de Aveiro começaram a estranhar estas mudanças no discurso dos escutados. Há suspeitas de que os arguidos e envolvidos no processo Face Oculta tenham sido avisados das escutas.

Os investigadores desconfiam que a partir desta conversa podem ter sido plantadas informações falsas. As alegadas fugas de informação estarão a ser investigadas no DIAP de Coimbra.

É depois desta data que, numa outra escuta, Paulo Penedos e Rui Pedro Soares dizem que José Eduardo Moniz tinha informado Manuela Ferreira Leite e a Presidência da República sobre o negócio da TVI ao mesmo tempo que negociava com a PT. Conversas que Moniz diz não terem acontecido. A líder social-democrata passa aliás a ser referida, várias vezes, por Rui Pedro Soares como um das pessoas que mais sabiam do negócio.
http://sic.sapo.pt/online/noticias/pais/Sabado+revela+escuta.htm

Voltar ao Topo Ir em baixo

avatar

Mensagem em Qui 25 Fev 2010 - 5:11 por BTBRAVO

Três jornalistas do Sol ouvidos como arguidos

Três jornalistas do semanário "Sol" e a advogada do jornal foram constituídos arguidos e deverão ser interrogados na próxima semana no Tribunal de Instrução Criminal (TIC) de Lisboa, no âmbito de um inquérito sobre a violação do segredo de justiça ordenado pelo próprio procurador-geral da República, Pinto Monteiro.

Em causa está a publicação de inúmeras escutas que fazem parte do processo original do Face Oculta, do qual o subdirector do "Sol", Vítor Rainho, se constituiu assistente.

Como nada tinham a ver com a investigação que corre em Aveiro, as intercepções foram remetidas para Pinto Monteiro para este eventualmente abrir um inquérito contra o primeiro-ministro, José Sócrates, por suspeitas de um crime de atentado contra o Estado de direito. Mas o procurador-geral entendeu que não havia matéria criminalmente relevante.

O PÚBLICO apurou que a procuradoria notificou Vítor Rainho, as jornalistas Felícia Cabrita e Ana Paula Azevedo e a advogada Fátima Esteves para comparecerem na próxima terça-feira no TIC de Lisboa, já na qualidade de arguidos. Contactada pelo PÚBLICO, Felícia Cabrita confirmou a informação e afirma: "Não é nada que me espante. O procurador-geral da República é muito rápido para determinados processos".

O Departamento de Investigação e Acção Penal de Lisboa está a investigar outra violação do segredo de justiça com "carácter prioritário e urgente", para apurar como caiu no domínio público o despacho de Pinto Monteiro de 18 de Novembro. Além dos jornalistas que divulgaram a decisão de arquivamento, tudo se conjuga para que o titular do inquérito inquira também as "cinco ou seis pessoas" que, segundo Pinto Monteiro (na foto), tiveram acesso ao seu despacho.

O procurador estará a referir-se, além dele próprio, ao presidente do Supremo Tribunal de Justiça, Noronha Nascimento, ao vice-procurador-geral, Mário Gomes Dias, ao procurador-geral adjunto Esteves dos Remédios, ao procurador distrital de Coimbra, Braga Temido, e ainda ao procurador de Aveiro, João Marques Vidal.
http://www.publico.pt/Pol%C3%ADtica/tres-jornalistas-do-sol-ouvidos-como-arguidos_1424362

Voltar ao Topo Ir em baixo

avatar

Mensagem em Qui 25 Fev 2010 - 7:21 por lucifer

Políticos e Pinóquios, por quê mentem?
Mentiram-me.Mentiram-me ontem
e hoje mentem novamente.Mentem
de corpo e alma, completamente.
E mentem de maneira tão pungente
que acho que mentem sinceramente.

Mentem, sobretudo, impune/mente.
Não mentem tristes.Alegremente
mentem. Mentem tão nacional/mente
que acham que mentindo história afora
vão enganar a morte eterna/mente.

Mentem. Mentem caricatural-mente.
Mentem como a careca mente ao pente,
mentem como a dentadura mente ao dente,
mentem como a carroça à besta em frente,
mentem como a doença ao doente,
mentem clara/mente como o espelho transparente.
Mentem deslavadamente,
como nenhuma lavadeira mente
ao ver a nódoa sobre o linho.Mentem
com a cara limpa e nas mãos
o sangue quente.Mentem
ardente/mente como um doente
em seus instantes de febre.Mentem
fabulosa/mente como o caçador que quer passar
gato por lebre.E nessa trilha de mentiras
a caça é que caça o caçador
com a armadilha.
E assim cada qual
mente industrial? mente,
mente partidária? mente,
mente incivil? mente,
mente tropical?mente,
mente incontinente?mente,
mente hereditária?mente,
mente, mente, mente.
E de tanto mentir tão brava/mente
constróem um país
de mentira
-diária/mente.

Muita LUZ!

Fragmento de poema de
(Affonso Romano de Sant’ Anna)

Voltar ao Topo Ir em baixo

avatar

Mensagem em Sab 27 Fev 2010 - 3:15 por lucifer

"Mas por amor de Deus! Querem fazer de nós parvos?"02:22
por TEMPOHoje

José António Saraiva, director do semanário Sol, manteve-se sempre calmo ao longo das quase duas horas de audição, ontem, na Comissão Parlamentar de Ética. Só elevou o tom de voz quando alguém alvitrou que o contrato da Taguspark (empresa participada pela PT) com Luís Figo nada tinha que ver com o facto de o jogador ter apoiado o PS nas legislativas. "Então a pessoa que faz o contacto é a mesma, e uma coisa não tem nada que ver com a outra? Mas por amor de Deus! Querem fazer de nós parvos? Eu acho que já nem os senhores deputados [do PS] acreditam no que dizem..."

Voltar ao Topo Ir em baixo

avatar

Mensagem em Sab 27 Fev 2010 - 16:37 por COMANDANTE GERAL

27 Fevereiro 2010 - 00h30
Investigação
Encontro apanhado nas escutas
Reunião secreta aconteceu a 25 de Junho, no Largo do Rato, e advogado da PT falou sobre ela a assessor do PS.


O encontro secreto entre Rui Pedro Soares e José Sócrates, ocorrido na tarde de 25 de Junho, terá sido apanhado nas escutas do processo ‘Face Oculta’. Quem o refere é Paulo Penedos, que dá conta a André Figueiredo, responsável pelo aparelho socialista, de que Rui Pedro Soares e Sócrates se encontraram nessa tarde. A conversa indicia que a partir desse momento já sabem que existe uma investigação das autoridades de Aveiro, podendo aquela envolver o negócio da TVI.

Os investigadores do processo estão convencidos de que a reviravolta acontece nessa mesma tarde, um dia após os procuradores de Aveiro e de Coimbra terem comunicado ao procurador-geral da República, Pinto Monteiro, as suspeitas do crime de atentado contra o Estado de Direito.

No dia seguinte, Penedos e Rui Soares passaram a agir como se já soubessem que os seus telemóveis estavam sob escuta. E o negócio da TVI passa a ser tratado como sendo 'um sonho' de Zeinal Bava e como se o Governo não soubesse do plano da PT.

'Devia ter tido a cautela de falar com o Sócrates... não falei e o gajo não quer o negócio. Era isto que eu temia. Acho que o Henrique não falou com ele (...) agora ele está todo f...', afirma Rui Pedro Soares a Penedos por volta das 20hoo de 25 de Junho. A investigação acredita que Rui Pedro Soares tinha falado com Sócrates, poucas horas antes, na sede do PS, no Largo do Rato.

A 27 de Junho, Rui Pedro Soares tem o novo esquema do negócio delineado e conta-o detalhadamente a Paulo Penedos. Diz que os espanhóis da Prisa foram instrumentalizados por José Eduardo Moniz e que terá sido o director da TVI a passar informações a Manuela Ferreira Leite.

Para o MP de Aveiro, não há dúvidas da fuga de informação. No despacho que determinou a aplicação de uma caução a Vara, Marques Vidal diz que os arguidos sabiam das movimentações da polícia. 'O arguido foi avisado de que poderia estar sob escuta em finais de Junho de 2009, o que foi do conhecimento de alguns dos demais arguidos', diz o magistrado. Vara desmente-o categoricamente.

'INFUNDADA, SEM SERIEDADE'

Pinto Monteiro reagiu ontem de forma indignada à notícia do ‘Sol’ que dava conta de que a fuga de informação poderia ter partido da PGR. 'A notícia é completamente falsa, infundada, não tem o mínimo de fundamento, de seriedade. Sou magistrado desde os 23 anos e acredito na Justiça. Estou convencido de que os tribunais saberão apurar quem é autor dessas notícias completamente falsas e que algum dia vai ser punido por isso. Porque isso é uma invenção com determinados fins', disse em Portimão.

NEGÓCIO DAS FARMÁCIAS

Uma outra certidão extraída do processo ‘Face Oculta’ visa investigar alegados favores do Governo a João Cordeiro, presidente da Associação Nacional de Farmácias (ANF). Armando Vara e Lopes Barreira, ambos arguidos no ‘Face Oculta’, são escutados a afirmar que Cordeiro andava a combinar com Sócrates a alteração ao decreto-lei sobre a concessão de farmácias de hospitais públicos ao sector privado e a favor da ANF. A 25 de Junho, Lopes Barreira diz a Armando Vara que José Sócrates 'comprometeu--se com tudo'.

'VAI CORRER TUDO MAL'

Vara e Lopes Barreira conversavam a 24 de Junho e criticavam JoséSócrates por ter dito publicamente que desconhecia o negócio. Auguravam que ia 'correr mal' .

CORTINA DE FUMO

Antes de 25 de Junho, Rui Pedro Soares falou com Penedos sobre a candidatura de Moniz ao Benfica. Assumiu que foi uma 'cortina de fumo' fantástica.

QUIS SAIR DA TVI

Uma conversa a 27 de Junho, entre Penedos e Rui Pedro Soares, desmente os próprios. Afinal, foi Moniz que quis sair da TVI e foi ele que armou a cilada a Sócrates.

PORMENORES

ENCONTRO NA PGR

A 24 de Junho, João Marques Vidal e Braga Temido, respectivamente procurador de Aveiro e procurador distrital de Coimbra, foram à PGR e deram conta das suspeitas de atentado contra o Estado de Direito.

INQUÉRITO EM COIMBRA

A 15 de Julho, foi aberto no Ministério Público de Coimbra um inquérito para apurar quem informou os arguidos de que a investigação decorria. Já foram ouvidas várias testemunhas.

CASO DESCONHECIDO

A operação ‘Face Oculta’ ocorreu a 28 de Outubro. Até essa altura o caso era desconhecido da Comunicação Social, que nunca tinha feito qualquer referência à existência da investigação.

GODINHO FEZ EXAMES MÉDICOS

Manuel Godinho foi ontem sujeito a vários exames médicos. O cardiologista do empresário deslocou-se à cadeia de Aveiro para avaliar o seu estado de saúde, após a ameaça de sofrer um AVC nesta semana. Ainda não é conhecido o diagnóstico do médico particular ao único arguido que se encontra em prisão preventiva.

PRAZOS ALARGADOS ATÉ OUTUBRO

A especial complexidade já foi decretada na investigação do processo ‘Face Oculta’. Tendo a operação decorrido a 28 de Outubro do ano passado, a acusação terá de ser deduzida até 28 de Outubro deste ano, data em que faz um ano que Manuel Godinho foi detido pela PJ. As autoridades sustentaram que havia perigo de fuga.

ARGUIDO NEGOCIOU ATAQUE À TAGUSPARK

Domingos Paiva Nunes, o administrador da EDP Imobiliária constituído arguido no caso ‘Face Oculta’, foi um dos protagonistas do ataque da PT, liderado por Rui Pedro Soares, à tomada de poder na sociedade do Taguspark, no final de 2008. Paiva Nunes, que foi apresentado por Armando Vara a Manuel Godinho, assinou o documento em que a EDP Imobiliária manifesta interesse em vender à PT a sua participação no capital do Taguspark.

O documento, a que o CM teve acesso, data de 17 de Setembro de 2008, quatro meses apenas após a designação de Rui Pedro Soares como administrador não executivo da Taguspark. E deixa claro que a EDP quer alienar à PT a totalidade da sua participação social, correspondente a 220 mil acções, no capital da Taguspark.

Em concreto, diz o documento, 'a operação de transmissão, para a qual se solicita o consentimento da sociedade, assenta na alienação das referidas acções a favor da PT, ao preço de 9,375 euros por acção, perfazendo o valor total de 2 062 500 euros'

A operação, que envolvia também a aquisição de acções ao BPI, mereceu oposição da Câmara de Oeiras. E só foi desbloqueada após um acordo entre Isaltino Morais e Zeinal Bava, líder da comissão executiva da PT. O acordo permitirá à autarquia manter-se como accionista de referência, mas a PT, apesar de não obter a liderança como pretendia, será o segundo maior accionista.

PARA 55,7%, PM AFASTOU MOURA GUEDES

Os portugueses acreditam que José Sócrates esteve envolvido no afastamento de Manuela Moura Guedes e de José Eduardo Moniz da TVI. Esta é a conclusão de uma sondagem CM/Aximage, em que 55,7% dos inquiridos dizem que as acusações sobre o envolvimento do primeiro-ministro na saída dos jornalistas da TVI 'têm razão de ser'. Só 33,6% afasta esse cenário. Em relação ao Presidente da República, a divisão de opiniões é mais clara: 40,9% acreditam que Sócrates tentou condicionar a actuação de Cavaco Silva e 50,9% considera que essa acusação 'não tem razão de ser'. Questionados sobre se o primeiro-ministro deveria demitir-se, 75,7% diz que não, contra 23,2% que defendem a sua demissão.

PORMENORES

ACÇÕES DO BPI

A 17 de Setembro de 2008, o BPI pediu consentimento à administração do Taguspark para vender à PT a sua participação no capital da sociedade, correspondente a 480 mil acções, por 4,5 milhões de euros.

REACÇÃO DE OEIRAS

A 14 de Outubro de 2008, Isaltino Morais enviou uma carta a Zeinal Bava, presidente executivo da PT, opondo-se ao interesse da PT em controlar o capital do Taguspark.

ACORDO EM ACTA

Isaltino Morais já disse que a autarquia chegou a acordo com a PT, o que ficou registado em acta da administração do Taguspark. A operação custará à câmara 1,5 milhões de euros.

REN REFORÇOU O CONTROLO

A REN reforçou o controlo interno em vários procedimentos, nomeadamente no que respeita a adjudicações, afirmou ontem o presidente da empresa, Rui Cartaxo. A alteração de procedimentos prende-se com o processo ‘Face Oculta’, em que é arguido o ex-presidente da REN, José Penedos, e o seu filho, Paulo Penedos.

As várias auditorias, entre as quais uma da Deloitte, foram 'muito coincidentes' nas deficiências e nas recomendações de melhorias, explicou o presidente da REN num encontro com jornalistas sobre os resultados alcançados pela empresa em 2009.

Entre as medidas tomadas por Rui Cartaxo, que substituiu José Penedos na liderança da REN, encontram-se o reforço dos sistemas de auditoria interna, de forma a assegurar a concorrência e transparência nos processos de adjudicação. 'Foi criada uma divisão de compras', adiantou Rui Cartaxo, concretizando que também foi criado um gabinete de auditoria.

O processo ‘Face Oculta’ foi qualificado por Rui Cartaxo como 'desagradável' mas 'não afectou o dia-a-dia da empresa'. A REN 'não foi directamente envolvida no processo [‘Face Oculta’]', sublinhou o presidente.

NOTAS

VARA: OUTROS PROCESSOS

Vara deverá ser constituído arguido no âmbito das certidões que foram enviadas para o DIAP de Lisboa. Uma delas respeita a documentos, em segredo, que lhe foram apreendidos

TELEFONE: SÓ PARA VARA

Diz o MP que Manuel Godinho tinha um telefone só para falar com Armando Vara. Mais tarde, o mesmo telefone serviu para contactar o quadro da EDP Imobiliária

CARTA ANÓNIMA: APREENDIDA

Uma carta anónima encontrada em casa de Armando Vara dava conta da existência da investigação. As autoridades acreditam que era um embuste

PASSOS COELHO: DEMISSÃO

Pedro Passos Coelho, candidato à liderança do PSD, admitiu ontem que o processo que envolve o negócio PT/TVI poderá culminar com a demissão do Governo de Sócrates

BERNARDO BAIRRÃO: AUDIÇÃO

O administrador-delegado da Media Capital, Bernardo Bairrão, vai ser ouvido na Comissão de Ética, Sociedade e Cultura na próxima terça-feira, 2 de Março

PCP: COMISSÃO DE INQUÉRITO

Jerónimo de Sousa prefere aguardar pelas conclusões da comissão de ética antes de se pronunciar sobre a criação de uma comissão de inquérito ao caso PT/TVI

MOURA GUEDES: PARLAMENTO

A audição da jornalista Manuela Moura Guedes no Parlamento está agendada para quarta-feira, 3 de Março. No mesmo dia, os deputados recebem Francisco Pinto Balsemão

SÓCRATES: PARLAMENTO

O PM revelou bom-humor numa visita a Famalicão, onde alertou os jornalistas: 'Ponham os microfones bem, para não me acusarem de deitar um órgão de Comunicação Social abaixo'

FICHA TÉCNICA

Objectivo: Primeiro-ministro José Sócrates. Universo: Indivíduos inscritos nos cadernos eleitorais de Portugal com telefone fixo no lar ou possuidores de telemóvel. Amostra: Aleatória e estratificada (região, habitat, sexo, idade, escolaridade, actividade e voto legislativo) e representativa do universo. Foi extraída de um subuniverso obtido de forma idêntica. A amostra contou com 600 entrevistas efectivas: 283 a homens e 317 a mulheres, 150 no Interior, 231 no Litoral Norte e 219 no Litoral Centro Sul, 166 em aldeias, 210 em vilas e 224 em cidades. A proporcionalidade pelas variáveis de estratificação é obtida após reequilibragem amostral. Técnica: Entrevista telefónica por CATI (Computer Assisted Telephonic Interview). Trabalho de campo: Decorreu entre os dias 17 e 19 de Fevereiro de 2010, com uma taxa de resposta de 78,4%. Erro probabilístico: Para o total de uma amostra aleatória simples com 600 entrevistas, o desvio-padrão máximo de uma proporção é 0,020 (ou seja, uma margem de erro - a 95% - de 4,0%). Responsabilidade do estudo: Aximage Comunicação e Imagem Lda., sob a direcção técnica de Jorge de Sá e de João Queiroz.



http://www.cmjornal.xl.pt/noticia.aspx?contentid=44DC586C-6747-429B-8E09-7FA29072A92F&channelid=00000181-0000-0000-0000-000000000181&h=11

Voltar ao Topo Ir em baixo

avatar

Mensagem em Dom 28 Fev 2010 - 7:26 por lucifer

11 Fevereiro 2010 - 00h30

Heresias
A coisa pega-se
Tenho vergonha que José Sócrates seja primeiro-ministro de Portugal. Não é uma questão política mas sim de pudor. Alguém que amontoa atrás de si um acervo de escândalos demasiado caudaloso para ser ignorado, mantém-se no poder com o ar indiferente dos que há muito largaram os pruridos de consciência.
Carlos Abreu jurista


Espanha
Escândalo de corrupção agita ilhas Baleares
Hoje

A presidente do Parlamento das ilhas Baleares, Maria Antònia Munar, viu-se forçada a apresentar a demissão na sequência de denúncias sobre o seu suposto envolvimento num escândalo de corrupção que ameaça riscar do mapa político o seu partido, a União Maiorquina (UM).
Segundo declarou à justiça Miquel Nadal, ex-dirigente da UM, Munar ter-lhe-á entregue em mão, na sua viatura oficial, 300 mil euros em notas destinados a angariar uma empresa privada disponível para explorar o canal público de televisão e pô-lo ao serviço do partido. O dinheiro, justificou, veio dos cofres da própria UM.

Fiel da balança política entre conservadores e socialistas nesta comunidade autónoma espanhola, a UM sustenta desde 2007 a frágil maioria de que dispõe o socialista Francesc Antich, chefe do Governo autonómico. Apesar de dispor apenas de três dos 59 lugares no Parlamento de Palma de Maiorca - contra 27 dos socialistas de Antich e 29 do PP, o partido conservador na oposição -, foi quanto bastou para elevar Antònia Munar ao cargo de presidente do órgão legislativo, último cargo relevante ocupado pela UM.

DN 28Fev10

Voltar ao Topo Ir em baixo

avatar

Mensagem em Ter 2 Mar 2010 - 2:40 por BTBRAVO

Tribunal de Aveiro suspende jornalista do Sol da condição de assistente no processo

O Tribunal de Instrução Criminal de Aveiro suspendeu o jornalista Vitor Raínho, do semanário Sol, da sua condição de Assistente no Processo Face Oculta. Vítor Raínho, bem como a advogada do semanário, são agora arguidos num processo de inquérito por suspeita de violação do segredo de Justiça.

A advogada do Sol vai ser ouvida este terça-feira na 5ª secção do Departamento de Investigação e Acção Penal de Lisboa, e Vítor Raínho na quarta-feira. O inquérito foi mandado instaurar pelo próprio Procurador-geral da República logo a seguir ao Semanário Sol ter publicado as primeiras escutas retiradas do Processo Face Oculta. Escutas que envolviam Paulo Penedos e Rui Pedro Soares.

Também as jornalistas Ana paula Azevedo e Felícia Cabrita, que assinaram a notícia, foram já constituídas arguidas no mesmo inquérito. A audição de Felicia Cabrita está marcada para quinta-feira, e a de Ana Paula Azevedo para sexta.
http://sic.sapo.pt/online/noticias/pais/Tribunal+de+Aveiro+suspende+jornalista+do+Sol+da+condicao+de+assistente+no+processo.htm

Voltar ao Topo Ir em baixo

avatar

Mensagem em Ter 2 Mar 2010 - 7:35 por solamente

é isto a liberdade de expressao....quando toca aos grandes sao logo contituidos arguidos...

Voltar ao Topo Ir em baixo

avatar

Mensagem em Ter 2 Mar 2010 - 14:04 por o vigilante

2 de Março de 2010

Jornal I



A suspensão do Jornal de sexta. apresentado pela jornalista Manuela Moura Guedes “não foi decidida pela administração da Prisa” e não foi motivada “pelas críticas do primeiro-ministro”. A garantia foi hoje dada pelo administrador da Media capital, Bernardo Bairrão, durante a sua audição na comissão de Ética, onde defendeu que “de forma alguma se tentou condicionar o conteúdo” desse formato durante a sua emissão.
“Nunca recebi nenhum contacto de membros do governo ou de alguma força política sobre este tema. Nunca esse tema foi levantado nas reuniões do conselho de administração da TVI”, sublinhou Bairrão, argumentando que, apesar de não se rever nas críticas de José Sócrates, a suspensão do Jornal “já estava a ser debatida há vários meses”.
Na base da decisão de suspender o noticiário esteve, segundo Bairrão, “ a necessidade de uniformizar o noticiário” com a restante linha informativa da estação. E, também, as críticas da Entidade Reguladora para a Comunicação Social àquele formato. “As críticas eram sobretudo em relação ao estilo e não ao conteúdo. E a administração da TVI não foi insensível a isso”, explicou o administrador.
Relativamente ao autor da decisão, Bairrão assegura que “não é verdade que a decisão tenha sido tomada pela Prisa”. “A decisão foi tomada pelo conselho de administração da Média Capital, onde têm assento três representantes da Prisa. E a decisão foi tomada depois de ouvir a administração da TVI”, disse.
"Não foi uma decisão propriamente pacífica. Foi amplamente discutida e só foi tomada na primeira quinta-feira de Setembro [na véspera do regresso que estava agendado para o programa]", disse.




Agora pergunto?



Quem fala verdade?



Há uma máxima que diz:

A mentira dita muitas vezes parece ser verdade.

Para mim esta máxima não colhe.

Voltar ao Topo Ir em baixo

avatar

Mensagem em Sex 5 Mar 2010 - 8:19 por BTBRAVO

Sondagem Intercampus para o PÚBLICO

Sócrates mentiu no Parlamento sobre o negócio da TVI

O primeiro-ministro mentiu no Parlamento quando disse que não sabia que a Portugal Telecom queria comprar a TVI e essa mentira é injustificável. É esta a convicção da maioria dos portugueses, de acordo com uma sondagem da Intercampus feita para o PÚBLICO.

Mas nem essa "mentira" nem a alegada ligação de José Sócrates a escândalos recentes lhe retiram condições para governar. Aliás, se as eleições fossem hoje, o PS voltava a ganhar e reforçava mesmo a sua votação, ficando à beira da maioria absoluta. Um paradoxo com diferentes explicações, na análise dos politólogos.

Primeiro os números. São 607 os inquiridos, num universo de 1015, que estão convencidos de que o primeiro-ministro mentiu deliberadamente na Assembleia da República, contra 408 que pensam o contrário. E ninguém deixou a pergunta sem resposta.

Quem desconfia mais?

Os homens desconfiam mais do que as mulheres (63,7 por cento contra 56,2) e quanto mais novos menos acreditam que Sócrates disse a verdade: 63 por cento dos sub-34, contra 55 por cento dos seniores com mais de 55 anos. Valores semelhantes à variação entre activos e não activos. Na Grande Lisboa estão os mais desconfiados (62 por cento contra 59,8 no Grande Porto).

Entre os que acreditam que Sócrates mentiu, 74 por cento julgam que essa mentira não tem qualquer justificação, enquanto apenas 19,6 a consideram aceitável. Os mais intolerantes são os activos que trabalham no sector público (78,4) e isso acontece tanto nesta questão da "mentira" como em todas as outras. Mais de metade dos funcionários públicos ou de empresas do Estado considera que o primeiro-ministo já não tem condições para continuar a governar. Quase tantos (53,7 por cento) como os que, no cômputo geral, consideram o contrário (54 por cento).

É aqui que começa o paradoxo que não espanta os politólogos: o primeiro-ministro mentiu, uma mentira injustificável, mas o voto é na estabilidade governativa. "Há alguma habituação da sociedade ao facto de que os políticos mentem e isso não acontece só em Portugal", analisa António Costa Pinto, lembrando o caso de Tony Blair e da guerra do Iraque. Para o investigador do Instituto de Ciências Sociais (ICS) da Universidade de Lisboa, acrescenta-se à desconfiança natural o "efeito persistência", devido à "sequência muito regular de escândalos associados ao primeiro-ministro no último ano e meio".

Ao efeito habituação e à desconfiança, Carlos Jalali acrescenta a distância que os portugueses sentem em relação à classe política: "Politics as usual", ilustra. Mas o que mais surpreendeu este professor da Universidade de Aveiro na sondagem foi a proximidade dos que pensam que o primeiro-ministro tem condições para governar aos que pensam o contrário: oito pontos percentuais (54 por cento versus 46). "São números interessantes", reconhece.

PS e PSD crescem

Mais interessantes se tornam quando se procura a tendência de voto actual. Os inquiridos, que rejeitam em grande percentagem a recomposição do Governo sem eleições antecipadas (64,8), dariam nova maioria ao PS se houvesse legislativas. Retirados os indecisos e os que não votam, os socialistas conquistariam 40,3 por cento dos votos, mais sete por cento que os sociais-democratas.

Desconfiados, intolerantes, mas ainda assim dispostos a dar uma nova oportunidade aos socialistas? Porquê? Marina Costa Lobo, investigadora do Instituto de Ciências Sociais, explica a contradição pela conjuntura: "O contexto económico e a fase de transição de liderança do PSD. Apesar de haver uma deterioração da situação política, não há condições para realizar eleições."

Se o PSD se apresentasse já como uma alternativa de poder, talvez as coisas fossem diferentes - aqui a opinião é unânime entre os politólogos, incluindo André Freire, do ISCTE. O que varia é a importância que dão a esse facto.

"As opiniões são muito diferentes quando há a percepção de uma alternativa válida", defende António Costa Pinto. Carlos Jalali analisa através de um outro prisma: "A tendência dos últimos anos é que quem está no poder é que o perde, não é a oposição que o ganha." E Sócrates ainda não o perdeu. Esse é o facto.
http://www.publico.pt/Pol%C3%ADtica/socrates-mentiu-no-parlamento-sobre-o-negocio-da-tvi_1425598

Voltar ao Topo Ir em baixo

avatar

Mensagem em Sex 5 Mar 2010 - 12:14 por lucifer

Mas nem essa "mentira" nem a alegada ligação de José Sócrates a escândalos recentes lhe retiram condições para governar. Aliás, se as eleições fossem hoje, o PS voltava a ganhar

BURROS


Mas o que mais surpreendeu este professor da Universidade de Aveiro na sondagem foi a proximidade dos que pensam que o primeiro-ministro tem condições para governar

ANALFABETOS

Voltar ao Topo Ir em baixo

avatar

Mensagem em Sex 5 Mar 2010 - 12:20 por escorpião da estrada

05 Março 2010 - 17h18
Bastonário da Ordem dos Advogados


Marinho Pinto: Justiça quer "derrubar primeiro-ministro"

"O poder judicial está, neste momento, empenhado em derrubar o primeiro-ministro. Alguém tem dúvidas disso?", acusou esta sexta-feira Marinho Pinto, Bastonário da Ordem dos Advogados, na Faculdade de Direito do Porto.

O bastonário explicou que José Sócrates, "bem ou mal, tocou em alguns privilégios da corporação" que, por isso, está "empenhada em derrubá-lo".
Questionado sobre as acusações de hoje do presidente do Sindicato dos Magistrados do Ministério Público (MP), nas quais este afirmou que há contaminação política no Ministério Público (MP), Marinho Pinto ressalvou que não comenta "declarações de sindicalistas".
"Os sindicalistas querem, e bem, mais dinheiro e menos trabalho para os seus associados, o objectivo que me move e move a Ordem dos Advogados é melhor justiça, mais rápida e mais justa para os cidadãos, sociedade e empresas", retorquiu.
Sobre a gravidade das suas acusações Marinho Pinto foi peremptório na sua resposta: "paciência".
"A verdade por vezes incomoda muito".
Fonte:
Correio da Manhã

Voltar ao Topo Ir em baixo

Mensagem  por Conteúdo patrocinado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 2 de 3 Anterior  1, 2, 3  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum