BRIGADA DE TRÂNSITO

PAINEL DO USUÁRIO
Convidado
Mensagens: 0


Alterar
Ver
Tópicos e mensagens

TRÂNSITO
LINKS RÁPIDOS

 



 
     
-
 
Votação

LIMITE VELOCIDADE NA AUTO ESTRADA

48% 48% [ 172 ]
52% 52% [ 185 ]

Total dos votos : 357

Navegação
 Portal
 Índice
 Membros
 Perfil
 FAQ
 Buscar
Maio 2017
SegTerQuaQuiSexSabDom
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031    

Calendário Calendário

POSTO VIRTUAL

 




Isto é demais: FMI diz que as FS em Portugal têm demasiadas regalias, e têm condições priveligiadas

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

09012013

Mensagem 

Isto é demais: FMI diz que as FS em Portugal têm demasiadas regalias, e têm condições priveligiadas




http://www.cmjornal.xl.pt/detalhe/noticias/ultima-hora/fmi-propoe-reducao-de-50-mil-professores-e-corte-nas-pensoes

http://www.cmjornal.xl.pt/detalhe/noticias/nacional/portugal/sindicato-relatorio-do-fmi-e-estranho-e-ridiculo

Então com quem é que os crânios do FMI falaram, e com base em quê, é que vêm agora dizer que as Forças de segurança em Portugal “têm demasiadas regalias e têm condições privilegiadas”?

Será que estes crânios sabem que as FS em Portugal, são o organismo do estado, onde mais profissionais morrem e ficam feridos em serviço desde o fim da guerra no ultramar?

Será que sabem que os cidadãos Portugueses que prestam serviço nas FS, não têm os mesmos direitos constitucionais que os outros Portugueses têm, e têm deveres que os outros não têm?

Será que sabem que nas FS em Portugal, se prestam funções de desgaste rápido e de especial penosidade, em que diariamente há inúmeros profissionais que no decurso do seu serviço são agredidos, insultados e injuriados?

Será que sabem que no caso concreto da Guarda, há profissionais que não têm horário de serviço, que trabalham por turnos, aos fins de semana, feriados, que fazem várias noites por semana, que folgam apenas um dia por semana e de forma rotativa, que não têm fins de semana completos, que não têm períodos certos de descanso entre serviços, e tudo isto sem que se receba mais por isso? Que não recebem horas extra como acontece nas outras profissões?

Será que sabem também, que tudo isto, e infelizmente também devido à conjuntura atual, é feito nas mais difíceis condições de trabalho, como por exemplo na condução de viaturas velhas e degradadas, diminuindo assim em muito as já débeis condições de segurança para quem nelas trabalha?

Será que sabem também, que muitos profissionais prestam serviço em instalações bastante degradadas, como aliás recentemente foi noticiado em várias TVs, contribuindo também em parte para o degradar da condição física de alguns?

Será que sabem também, que muitos prestam serviço integrados em efetivos reduzidos, o que leva a um aumento na sobrecarga do serviço, que tem que continuar a ser feito, independentemente do efetivo que existe?

Então tudo isto que se passa nas FS em Portugal, e que além disto, são das mais mal pagas da UE, “são condições privilegiadas e ter demasiadas regalias”?

Com quem é que se informaram, e em que é que se basearam os crânios do FMI, para virem agora dizer tamanhas barbaridades?



patrulheiro do asfalto
1º SARGENTO
1º SARGENTO

PAÍS :
MENSAGENS : 688
LOCALIZAÇÃO : portugal
INSCRIÇÃO : 16/02/2009

Voltar ao Topo Ir em baixo

Compartilhar este artigo em: BookmarksDiggRedditDel.icio.usGoogleLiveSlashdotNetscapeTechnoratiStumbleUponNewsvineFurlYahoo!Smarking

Isto é demais: FMI diz que as FS em Portugal têm demasiadas regalias, e têm condições priveligiadas :: Comentários

avatar

Mensagem em Qua 9 Jan 2013 - 10:49 por RIMR.LFNR

Simples!!!
Pegam na estimativa média de ordenados e direitos adquiridos e fazem um estudo. Logo a nível geral, os seus membros são bastante bem pagos, o que não corresponde á realidade.
Existem é muitos Sr.(s) com ordenados chorudos, fora as regalias que tem e ainda as que não têm, mas continuam a dispor.
No final disto tudo, para quem sobra???Que é, quem é????
O pequenino.........
Cá estamos para ver...
Se não existissem tantos chulos, inclusive, cá dentro, isto não se passava.
Rua com esses mandantes oriundos das armadas, que aqui não fazem nada!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Voltar ao Topo Ir em baixo

Mensagem em Qua 9 Jan 2013 - 14:24 por lorpa

O que os elementos do FMI dizem é verdade, mas para as classes de sg e oficiais , os quais tem tantas regalias e são tantos, que nem a França e a Almanha juntas tem tantos como Portugal. Razão esta para terem que ainda promoverem mais oficiais para ver se chegamos ao rácio dos paises do 3º mundo.

Voltar ao Topo Ir em baixo

avatar

Mensagem em Qua 9 Jan 2013 - 17:43 por ruigoncalves25

Apesar de não exercer as mesmas funções que a geral maioria dos membros aqui presentes, ou dos demais agentes da autoridade, não só estou de acordo, como também estou solidário para com todos vocês! Para a profissão e cargos que exercem, devido aos riscos que correm, são merecedores das regalias que já tiveram e merecedores de poder tanto de voz como de actuação perante situações de risco. É intolerável que agentes da autoridade tenham sido punidos e/ou até mesmo suspensos por em casos de risco extremo terem agido em legitima defesa enquanto os criminosos ficam cá fora a rirem-se pelo facto de todos os esforços feitos pelos agentes para cumprirem com o seu serviço para manterem a ordem, irem todos "pelo cano abaixo" tendo sido desvalorizados todos os riscos em que os agentes estiveram envolvidos desde a detecção, confronto e detenção dos criminosos.

Voltar ao Topo Ir em baixo

avatar

Mensagem em Qui 10 Jan 2013 - 9:35 por A Morte

Os senhores do FMI têm razão no que falam, temos que ler para falar. Existem só na cidade de Lisboa um policia para cada 4 pessoas, isto é aberrante, quando existem postos com 5 militares para uma povoação. Cancelem os concursos de admissão e coloquem os policias na rua e nos seus lugares coloquem civis qualificados, combatendo assim o desemprego e distribuindo os policias pelas ruas. Bandas de música, serviçais nas messes,etc... isto entristece-me porque mostram um BI militar igual ao meu , quando nunca foram guardas. O FMI sabe disto, e quer uma mudança,só que o Governo não tem coragem de fazer nada quanto a isso, é mais facil subtrair subsidios. Sobreposição de competencias, etc. Quando o FMI se refere a regalias refre-se ao facto de neste momento no país os organismos públicos estarem a dispensar funcionários e a GNR e a PSP estarem a recrutar pessoal. Sobre este assunto mais haveria a conversar, aliás muito mais, mas eu não sou politico...
Porque é que na GNR o pessoal da intervenção de Lisboa recebe mais 300 e tal Euros de subsidio de risco e as minas e armadilhas também? Digam-me por favor quando sofreram baixas para receber tal susidio? Digam-me quantas baixas em serviço tem a BT e quanto recebe de susidio de risco???? È muito dinheiro mal disttribuido. Alguém tem que ver isto, e o FMI acho eu que reparou em alguma coisa.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Mensagem em Qui 10 Jan 2013 - 12:02 por patrulheiro do asfalto

Quem não se sente não é filho de boa gente.

Coloquei aqui este tópico, porque enquanto elemento de uma das forças de segurança em Portugal, fiquei revoltado com aquelas notícias.

Eu não sei se o FMI tem razão ou não, e continuo a perguntar em que é que os seus funcionários se basearam para dizer que as FS em Portugal têm demasiadas regalias, e condições privilegiadas.

Eu, enquanto elemento de uma das FS em Portugal, não tenho nenhumas, e revolta-me ver nas capas dos jornais, na abertura dos noticiários das TVs, e nas bocas de alguns comentadores de circunstância em vários programas televisivos, dizerem que os profissionais das FS têm privilégios.

Isso é mentira, a título de exemplo, basta dizer que eu, e mais alguns como eu, trabalhei no Natal e no Ano Novo (mais uma vez) e não tive nenhuma compensação por isso, nem me lamentei por isso. É a minha profissão, e sei bem com que linhas é que me coso.

Se nas próprias instituições há este serviço ou aquela especialidade em que os sacrifícios e condições são melhores ou piores, isso é outra história, e levar-nos-ia para outra discussão, que para o caso, penso que neste momento não interessa.

Agora, o que está aqui em causa, é o que transpira para a opinião pública, e o que transpirou para a opinião pública com aquela noticia, e que não haja dúvidas que a alguns interessa que tenha surgido assim, é que as FS têm condições privilegiadas e demasiadas regalias.

Digam-me lá uma?

A SAD, para a qual descontamos uma parte do vencimento, e que felizmente, no meu caso particular ainda de quase nada me valeu?

A passagem à reserva aos cinquenta e poucos anos de idade (por enquanto), depois de uma vida profissional em que se fez 40, 50, 60 e por vezes mais horas de serviço semanal, onde se trabalhou em serviços de 24H00, 24H00 dia sim dia não, 24H00 + 4 no dia seguinte, vir entrar de serviço 14-22, e ter que estar no posto às 08H00, estar de serviço 06-14 e só poder sair do posto às 17H30 (a permanência obrigatória, que muitos felizmente não sabem o que era), não ter horário certo, períodos de repouso certos, folgar uma vez por semana rotativamente, trabalhar aos fins de semana, feriados, várias noites por semana, porque o efetivo é reduzido e o serviço tem de ser feito?

Tudo isto, em que não se recebe mais nada por isso.

Passar à reserva com aquela idade, que era o instrumento para compensar tudo isto que referi é um privilégio?

Será que os funcionários do FMI leram os estatutos e os regulamentos das FS, para saberem que os elementos das FS têm deveres especiais que os outros cidadãos não têm, e que fizeram um juramento em que juraram defender a pátria mesmo com o sacrifício da própria vida?
E que era suposto, para deveres especiais, também deveriam haver direitos especiais, que infelizmente os poucos que existiam se foram perdendo e continuam a perder?

Será que se os funcionários do FMI que produziram aquela informação, vá lá saber-se com base em quê, acompanhassem durante uns tempos elementos/patrulhas do serviço operacional das FS, a verificar in loco, a forma, os meios, e as condições em que a maior parte das vezes o serviço se processa e é feito, tivessem acesso às folhas de vencimento desses elementos, e vissem as suas escalas de serviço/folgas, em vez de só cá terem estado quatro dias a fazer perguntas, teriam chegado à mesma conclusão?



Voltar ao Topo Ir em baixo

avatar

Mensagem em Qui 10 Jan 2013 - 14:46 por A Morte

Patrulheiro, concordo plenamente consigo, os elementos do FMI basearam-se nos dados fornecidos por alguém, mas continuo com a minha opinião. Eiste despesismo excessivo dentro das forças de segurança, além dos cargos mal ocupados e sobreposição de áreas. Mais ... é inadmissivel a subida repentina dos oficiais e sargentos, que a cada passo aumentam as suas regalias tais como messes, condutores e veiculo á disposição. Porque não pegam num tabuleiro e ingressam numa fila de uma messe, como os guardas? Porque não registam os sargentos, acidentes de viação? porque não vão estes senhores para as filas nas messes. Porque têm que dormir em camas e quartos diferentes, afinal não somos todos humanos e as dores das costas não são iguais? São uns frustrados, como vi um destes dias um sargento a dizer que em casa quem o servia era a mulher, gostaria que a mulher o ouvisse a dizer isso. Acabem com essa porcaria e obriguem-nos a trabalhar. Acabem com as messes individuais e com as bandas de musica.

Voltar ao Topo Ir em baixo

avatar

Mensagem em Sex 11 Jan 2013 - 3:15 por RIMR.LFNR

patrulheiro do asfalto escreveu:
Quem não se sente não é filho de boa gente.

Coloquei aqui este tópico, porque enquanto elemento de uma das forças de segurança em Portugal, fiquei revoltado com aquelas notícias.

Eu não sei se o FMI tem razão ou não, e continuo a perguntar em que é que os seus funcionários se basearam para dizer que as FS em Portugal têm demasiadas regalias, e condições privilegiadas.

Eu, enquanto elemento de uma das FS em Portugal, não tenho nenhumas, e revolta-me ver nas capas dos jornais, na abertura dos noticiários das TVs, e nas bocas de alguns comentadores de circunstância em vários programas televisivos, dizerem que os profissionais das FS têm privilégios.

Isso é mentira, a título de exemplo, basta dizer que eu, e mais alguns como eu, trabalhei no Natal e no Ano Novo (mais uma vez) e não tive nenhuma compensação por isso, nem me lamentei por isso. É a minha profissão, e sei bem com que linhas é que me coso.

Se nas próprias instituições há este serviço ou aquela especialidade em que os sacrifícios e condições são melhores ou piores, isso é outra história, e levar-nos-ia para outra discussão, que para o caso, penso que neste momento não interessa.

Agora, o que está aqui em causa, é o que transpira para a opinião pública, e o que transpirou para a opinião pública com aquela noticia, e que não haja dúvidas que a alguns interessa que tenha surgido assim, é que as FS têm condições privilegiadas e demasiadas regalias.

Digam-me lá uma?

A SAD, para a qual descontamos uma parte do vencimento, e que felizmente, no meu caso particular ainda de quase nada me valeu?

A passagem à reserva aos cinquenta e poucos anos de idade (por enquanto), depois de uma vida profissional em que se fez 40, 50, 60 e por vezes mais horas de serviço semanal, onde se trabalhou em serviços de 24H00, 24H00 dia sim dia não, 24H00 + 4 no dia seguinte, vir entrar de serviço 14-22, e ter que estar no posto às 08H00, estar de serviço 06-14 e só poder sair do posto às 17H30 (a permanência obrigatória, que muitos felizmente não sabem o que era), não ter horário certo, períodos de repouso certos, folgar uma vez por semana rotativamente, trabalhar aos fins de semana, feriados, várias noites por semana, porque o efetivo é reduzido e o serviço tem de ser feito?

Tudo isto, em que não se recebe mais nada por isso.

Passar à reserva com aquela idade, que era o instrumento para compensar tudo isto que referi é um privilégio?

Será que os funcionários do FMI leram os estatutos e os regulamentos das FS, para saberem que os elementos das FS têm deveres especiais que os outros cidadãos não têm, e que fizeram um juramento em que juraram defender a pátria mesmo com o sacrifício da própria vida?
E que era suposto, para deveres especiais, também deveriam haver direitos especiais, que infelizmente os poucos que existiam se foram perdendo e continuam a perder?

Será que se os funcionários do FMI que produziram aquela informação, vá lá saber-se com base em quê, acompanhassem durante uns tempos elementos/patrulhas do serviço operacional das FS, a verificar in loco, a forma, os meios, e as condições em que a maior parte das vezes o serviço se processa e é feito, tivessem acesso às folhas de vencimento desses elementos, e vissem as suas escalas de serviço/folgas, em vez de só cá terem estado quatro dias a fazer perguntas, teriam chegado à mesma conclusão?





Se os nossos comandantes, em vez de olharem só para os seus umbigos e lutassem, só um bocadinho que fosse, pelos direitos dos demais camaradas!!!!!!! SIM, porque afinal, apesar de serem superiores hierárquicos, somos todos militares..................
Se deixarem a prepotência, a arrogância e a MANIA de parte, e defenderem os seus, talvez isto até dê uma volta!!!
Como já o disse antes, como é que estes Sr.(s), que utilização a guarda para aceder a uma categoria que lhes é negada na sua instituição de origem, e que para tal necessitam de despachos dos Sr.(s) governantes, podem ir contra as decisões destes últimos!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
É tudo política, são tudo interesses.

Voltar ao Topo Ir em baixo

avatar

Mensagem em Sex 11 Jan 2013 - 10:06 por ROMEO123

-O FMI apenas esta a ajudar, o pau mandado do nosso querido governo a ter desculpa para meter as "patas" nas FS. se isto for avante vão ouvi- los na com. social, a dizer, " Nos não queriamos mas o FMI...!!!!" Quem nos devia defender, tem um cargo politico e esta de passagem por isso que se lixe quem ca fica...
Não se esquecam quem atualmente tem homens treinados e equipamento para um novo 25 /04 é a GNR por isso as chefias estão sempre protegidas em termos de carreira, e regalias...

Voltar ao Topo Ir em baixo

avatar

Mensagem em Sex 11 Jan 2013 - 10:15 por gatodastardes

Esses senhores deveriam andar pelos corredores das altas patente que estão cheios de ordenanças e muitas regalias, ai sim deveriam dar umas vassouradas.

Voltar ao Topo Ir em baixo

avatar

Mensagem em Sex 11 Jan 2013 - 17:29 por 666

O FMI baseou o estudo nos que têm casa de função, carro e condutor para todo o serviço, 2000 euros mês, ajudas de custo sem justificação minimamente aceitavel, telemovel e não fazer nenhum, ou seja, objectivos sempre cumpridos, etc.
Quantos Coroneis foram agora promovidos!? haverá necessidade de ter tanto oficial superior?
O Zé alho devia publicar aqui uma lista do numero de oficiais que existem na GNR e depois ver o racio em relação ao numero de praças.
Feitas as contas verifiquem se em mais algum país isto se verifica.

Voltar ao Topo Ir em baixo

avatar

Mensagem em Sex 11 Jan 2013 - 17:34 por recruta0

São tantos os oficiais que dentro de alguns anos os postos vão ser comandados por subalternos!!!!! não há orçamento que resista. A gordura do Estado nunca vai desaparecer.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Mensagem em Dom 13 Jan 2013 - 11:12 por patrulheiro do asfalto

Afinal os funcionários do FMI enganaram-se.

O que eles queriam dizer quando disseram que os polícias tinham demasiadas regalias e condições privilegiadas, esqueceram-se de dizer que quando mencionaram isso, se estavam a referir aos polícias dos seus respetivos países.

Segundo as ultimas informações, foi feito um aditamento ao referido relatório, em que os funcionários dizem, que aos polícias portugueses devem ser dadas as mesmas regalias e condições privilegiadas, que são proporcionadas aos polícias dos países deles.

Parece que tem a ver com a uniformidade de direitos e condições de trabalho dos polícias a nível da UE, uma vez que é esse o comparativo que está a ser feito.

Cá, e pelas contas de alguns, atendendo ao número de horas de serviço que fazem por semana, os fins de semana, os feriados e as noites que trabalham, assim como o número de folgas por mês que têm só 4 ou 5, parece que dá quase outro ordenado por mês.

Segundo consta, cá também vai haver um subsistema de saúde ao nível das polícias dos países deles, assim como um sistema de passagem à reforma muito mais favorável que o nosso, que também vai ser igual ao deles.

Voltar ao Topo Ir em baixo

avatar

Mensagem em Seg 14 Jan 2013 - 9:55 por RIMR.LFNR

patrulheiro do asfalto escreveu:
Afinal os funcionários do FMI enganaram-se.

O que eles queriam dizer quando disseram que os polícias tinham demasiadas regalias e condições privilegiadas, esqueceram-se de dizer que quando mencionaram isso, se estavam a referir aos polícias dos seus respetivos países.

Segundo as ultimas informações, foi feito um aditamento ao referido relatório, em que os funcionários dizem, que aos polícias portugueses devem ser dadas as mesmas regalias e condições privilegiadas, que são proporcionadas aos polícias dos países deles.

Parece que tem a ver com a uniformidade de direitos e condições de trabalho dos polícias a nível da UE, uma vez que é esse o comparativo que está a ser feito.

Cá, e pelas contas de alguns, atendendo ao número de horas de serviço que fazem por semana, os fins de semana, os feriados e as noites que trabalham, assim como o número de folgas por mês que têm só 4 ou 5, parece que dá quase outro ordenado por mês.

Segundo consta, cá também vai haver um subsistema de saúde ao nível das polícias dos países deles, assim como um sistema de passagem à reforma muito mais favorável que o nosso, que também vai ser igual ao deles.

E tu ainda acreditas nisso???!!!!
Até dá vontade de .................. chorar ( não é de rir ).
Vais ver as condições que te vão proporcionar este ano e subsequentes.

Voltar ao Topo Ir em baixo

avatar

Mensagem em Sex 18 Jan 2013 - 10:31 por Malandrinho

Não estudei, senão também era oficial hehehehehehe....

Voltar ao Topo Ir em baixo

Mensagem  por Conteúdo patrocinado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum